Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Sinceridade!...

Hoje, fomos às antigas instalações onde o Bruno frequentava o centro de actividades ocupacionais.
Disse-lhe para ir ver as antigas monitoras e dar-lhes um beijinho.
Porque para mim as pessoas contam e contam muito, e por achar que aquele tipo de formação apenas ocupacional, não fosse o mais indicado, para o caso especifico do Bruno (as pessoas são importantes).
Sei que ele era tratado com afecto e carinho e que até gostava de algumas das actividades, principalmente as que implicavam colónias e saídas para o exterior e tinha uma boa relação com as pessoas, embora ele não seja muito explícito nos afectos.

Uma das monitoras perguntou se ele tinha saudades de estar ali com elas?!...
Ao que ele após uns segundos de reflexão, franziu o nariz, e num quase suspiro, respondeu um siiim, pouco convicto :)
Sinceridade, digo eu!... xD
Depois ele lá explicou, até porque é para ele tarefa difícil em termos práticos saber o que é saudade.
Mas saiu-se muito bem, e até fez as analogias e referiu que a principal diferença entre o *CAO e o *FSO, é a liberdade de poder sair no intervalo livremente.
Em relação aos colegas, também acha uma ligeira diferença em termos de comunicação...

Em relação a estas monitoras, encheu-as de climas, acho que até ficaram contagiadas xD
E foi uma conversa agradável e deu para matar saudades, porque o principal que quero para o Bruno é que ele seja feliz com qualidade de vida...
E é sempre nessa perspectiva que eu me guio, nunca contra os outros sejam pessoas ou instituições, obrigada para já a estas três meninas, que elas sabem quem são...

Fiquei muito feliz, por saber que elas sentiam a falta do Bruno( aliás só podia) rsss, qualquer um dos nossos meninos deixa saudade. A falta que vos fez o guia este ano na estrada ihihihi

*CAO- Centro de Actividades Ocupacionais
*FSO-Fórum Sócio Ocupacional

6 comentários:

Grilinha disse...

Ó amiga ! Que saudades tinha de vir aqui um bocadinho...

E logo mais um daqueles posts tão típicos teus, mostrando a forma de viver do teu Bruninho.

Até acredito que ele sinta alguma falta...isso serão saudades, certo ?
Nem sempre nós sentimos o que suposto sentir. Se calhar ele só sente falta de qq coisa, mas saí a estar saudoso e "estar com saudades" vai um enorme passo...

É o jeitinho dele ser...e em cada dia ele experimenta uma pequenita emoção...

Beijinhos

Mina disse...

Grilinha

É sempre muito bom ter te por cá, também sinto saudades das tuas opiniões e do teu sentir...

Uma coisa ele sente mesmo, é a sinceridade e não diz p'ra fazer favor, muitas vezes pode é nem saber exprimir se, porque tem de se estimular e estas monitoras tinham essa capacidade, e já percebiam a forma de lidar com ele.

Eu sinto sempre saudades, daqueles que nos ajudam a percorrer este caminho de uma forma mais leve...

beijinhos para ti e p'ro JP

Fê-blue bird disse...

Amiga.
Passei para lhe desejar um bom feriado.
Beijinhos aos dois


ps.Adorei o poema, mas não pude comentar, parabéns!

Mina disse...

Fê blue bird
Obrigada, bom feriado p´ra vocês também...
E como este é o post da sinceridade, nem de propósito, os comentários estão inacessíveis ao post da paixão, que nem era para aqui colocar, uma vez que este blog é essencialmente para falar do Bruno e da sua relação com os outros e com o mundo que o rodeia.

O "poema" tem apenas a ver com os pais, ainda ele nem sequer fazia parte dos planos...
Mas muito obrigada na mesma pelas suas palavras...
bjocas

AVOGI disse...

claro que se sente a falta de uam pessoa principalmente s for uma pessoa com bom carácter. kis :9

Mina disse...

Avogi
Ele também é rapaz especial , que fica quieto no canto, e reage quando insistentemente solicitado.
Por isso julgo que não dava muito trabalho...
E ainda naquele grupo é o que tinha maior poder de comunicação aparente quando isnsitentemente estimulado.
Fazia uns teatros muito engraçados,e como mãe acho que ele os fazia muito bem kkk
bjocas