Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

Comparações


Comparar ,incomparáveis , ou não!?

 A sensação de permanente pânico  que vives  , num país que não conheces totalmente a língua, apenas algumas palavras básicas  , terás sempre dificuldade em entender, o que te faz aumentar o pânico, ainda assim consegues alguma linguagem gestual e corporal que indicam a tua ansiedade e necessidade ajuda, que *"atabalhoadamente" vais pedindo.

No autismo vive-se um bocadinho isto , mesmo com a linguagem correta , o  estado de frequentes incertezas, acumulado com facto de não pedir ajuda, apenas emitir sinais  de dificuldade e ansiedade que ninguém percebe, até mesmo quando sabem têm necessidade de confirmação e aprovação.

Torna-lhes o mundo complicado.
Atenção aos sinais...

quinta-feira, 2 de janeiro de 2020

Conversas Francas



Conversas francas, que a alguns poderiam incomodar!...
Em conversa com um amigo muito especial:
-Sabes eu fiz anos!?...E tu não me deste prenda!?...
-Pois não!...E o quê que tu gostavas?!..(pergunto-lhe eu)
-Advinha ?!...(diz-me ele)
Esta de adivinhar os pensamentos deles é muito reveladora e reporta-me para o meu Bruno, que utiliza muito esta técnica do advinha.
E pela transparência do discurso deles, às vezes consegue-se adivinhar...
Faço algumas tentativas pela lógica fotografias, tintas para pintar ,carros,mapas!...
Não chego lá eheheeh. e não vou revelar, mas é uma coisa tão simples que para a próxima prometo levar...
Espero não me esquecer até lá, deste pedido tão particular!...:D
É um segredo nosso...
Nota- esta conversa, como é lógico, foi tida com um jovem autista .

Este excerto já  foi escrito em 2010

Feliz Ano Novo 2020 a todos.
Os anos passam, mas as características, mantêm-se, se à algo que os distingue é a honestidade, e ingenuidade , entre outras...

sexta-feira, 20 de dezembro de 2019

"Consciência"



Depois de um  almoço, sem  a mãe por perto para controlar os excessos de comida.
Comeu pelo dia todo, ou pela semana inteira  :)
Não é daqueles autistas "niquentos"*, gosta de provar de tudo ( só não comeu peixe), porque será?
Entradas e sobremesas, rolaram, sem " espinhas"*, nem o facto de ser self-service o inibiu  dos exageros.
Nesse dia não comeu mais nada, o peso da consciência, era equivalente ao físico uma sobre carga.
Sabendo que dois dias depois ia ser avaliado no ginásio o arrependimento era latente.
Felizmente, têm noção que o excesso de peso, não é bom para saúde, mas gosta de comer ;)
Pronto estamos em época  de pecar um bocadinho...
Ainda assim o resultado não foi tão catastrófico, como ele imaginava, foram 400 g, que vai recuperar...

Aproveito, para desejar a todos um Feliz Natal, com muita alegria.
Comam e divirtam-se...
Sejam Felizes
Beijinhos

Mãe Mina

- "niquentos"= esquisitos
-"espinhas"=facilmente

segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

Convites


Tanto tempo à espera!
Parece uma coisa insignificante, para a maioria das pessoas .
Ser convidado para um simples almoço.
Por medo!? Por desconhecimento!?
As pessoas no espectro do autismo, raramente fazem parte das listas de convidados.
Em 34 anos conta-se pelos dedos de uma mão os convites, e sobram nos dedos.
Posso garantir que foram  apenas 3 : O primeiro no 10º. ano uma colega de seu nome Patrícia, que só o conheceu nesse ano, convidou para um almoço no  Fast-food (milagre).
Não posso precisar, se faz voluntariado à 4 ou à 5 anos, no primeiro ano foi convidado, mas tive que o trazer de volta, sem participar ( na altura escrevi os motivos , mas perderam-se esses registos).
Hoje talvez os tais 5 anos depois repetiu-se o convite, meio receosa lá o fui levar para o almoço com os outros voluntários, num espaço demasiado grande para um autista se movimentar, com menu self-service, como é que ele se irá desenrascar!?...
O meu contacto, está sempre disponível, para qualquer eventualidade, deixo-o ficar com o grupo às 12:30 e vou busca-lo quando me ligarem às 14:30, o tempo suficiente para se " empaturrar", a primeira ronda com vigilância de uma das orientadoras do projecto.
As restantes foi sozinho.
O quê, que comeste!?
-Muito. (primeiro as entradas, tudo o que tinha direito  (risos) um de cada que o rapaz não é esquisito.
Depois duas vezes os menu prato, não especificou o quê .
E ainda para terminar, duas vezes se levantou para ir às sobremesas.
Isto porque a mãe disse para não encher, muito os pratos ;)
Resumindo comeu que se fartou, não teve tempo para convívios, mas correu bem segundo as informações.
E assim vamos de festas, a ver vamos se p'ro ano o convidam ;)



11 Anos


Parece, que o blogue entrou num vazio.
Outras redes entraram no circuito, e perdeu-se muito da inter-acção quebrou-se muito da relação.
Já não se partilha como antes o dia a dia as aventuras e desventuras, de uma vida com as Perturbações do Espectro do Autismo.
Não é mais ,nem menos do que a nossa experiência de mãe e filho, e o mundo que nos envolve, com a transparência e a verdade sempre de mãos dadas.
A vida não parou, e muito por aqui já se passou, não falamos em termos técnicos, falamos a linguagem do coração.
E aqui nos mantemos e reencontra-mos a nossa história.
Um abraço a todos aos que longo destes anos por aqui têm passado, no silêncio, que seja inspirador para outras famílias.
O Autismo não é o fim do mundo, é o principio de uma nova vida, com muito para aprender e viver com verdade...

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Contratos de trabalho"""


Não é hoje o tal dia, o dia que  ONU, considerou, o dia internacional ( para/com) a pessoa com deficiência.
Hoje é outro dia, um dia normal, e supostamente igual para todos.
Igualmente diferente para todos, ou talvez não!?
Porque os tais os que estão no "pacote", só têm aqueles de dias, os marcados.
Nos restantes dias, são assim uma espécie de gente que "hiberna", nos seus "casulos".
Vivem do ar , então se a perturbação for do espectro do autismo, vem mesmo a calhar " vivem na lua", porque o planeta terra não reconhece  as "aves raras".
Direitos, qualidade de vida, empregos... Oh! que festa!
À dias um dos nossos adultos  conseguiu , um contrato de trabalho.
Mas que ousadia , um quase milagre, uma festa daqueles com direito a foguetes.
Ficou tão feliz que achou que lhe tinha saída a sorte grande, sim de facto ele interiorizou  bem, que para qualquer adulto com perturbação do espectro do autismo será esta a sua visão.
Do meu ponto vista, a quem saiu a sorte grande, foi à empresa, que contratou este funcionário, vai ser certamente assíduo, pontual, cumpridor das suas tarefas, prestável...
Claro que terá algumas dificuldades, como qualquer ser humano, que serão facilmente resolvidas com compreensão e conhecimento.
O maior erro da humanidade é julgar só por um "pacote", que desconhece...

Opinião de mãe
Mina

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

Alta voltagem



O " ruído" no interior deve ser tão avassalador, que provoca esta alta voltagem.
Não, fiquem a olhar , ou comentar.
Todos precisamos, respirar.
Pode parecer estranho a quem não lida com padrões do espectro do autismo.
Da minha observação e experiência pessoal, o cérebro do meu filho funciona com uma sobrecarga superior à minha.
Constantemente fala, ralha, exalta-se com os pensamentos .
Têm necessidade de expandir e exaltar essa energia, através do processo de estereotipias, é mais forte do que ele é incontrolável, a não ser que fosse por via medicamentosa.
Não é um quadro bonito, a agitação motora e verbal ( ruídos ).
Mas é uma forma de descompressão e relaxamento , daquela super energia de biliões de pensamentos ou situações a aflorarem ao mesmo tempo.
O exercício físico é uma forma de concentração e foco, que ajuda a libertar o pensamento.

Nota: Esta é a opinião e observação da mãe, o que ele sente , só ele poderá explicar...

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Dá para perceber!?...

Começar por onde!?
Para qualquer pessoa a organização  é fundamental.
Para uma pessoa com perturbação do espectro do Autismo é essencial, saber sempre com o que pode contar, têm imensa dificuldade em lidar com qualquer tipo mudança...
Daí ter-mos sempre de ter uma  preparação prévia para todas as situações.
A ida da mãe para ir visitar a irmã a Inglaterra neste período que ela lá está, deixou o ficar em casa com o pai, não pelo facto dele não dominar a língua , tal como a mãe.
Para ele seria mais complicado, e para a mãe também seria mais uma preocupação acrescida ao facto de também não dominar a língua, mas consigo lidar com alguns imprevistos , mesmo que fique com algum stress e medos,  o que seria mais difícil gerir com a presença dele.
Foram apenas 3 dias que conseguimos gerir falando diariamente pela web.
Quando regressei a casa, tinha este cenário em cima da cama dele...
Dá para perceber!?...

sábado, 19 de outubro de 2019

Aquele Abraço



Esteve os dias de ausência, a preparar a recepção à mãe.
Com role musical, para me presentear :)
"As saudades que eu já tinha da minha alegre mãezinha" ( alterou o original  :) (Xutos e Pontapés)
" Tenho saudades de te ver, vontade de te abraçar" ( João Pedro Pais)
" Encosta- te a mim" (Jorge Palma)
"Quero voltar, para os braços da minha mãe" ( Pedro Abrunhosa)

A ansiedade era grande, para aquele abraço, tendo-o eu avisado que o voo se atrasou, ele fez as pesquisas , sabia a hora exacta a que voo faria aterragem.
Só não contou com tempo que se leva a sair do avião e a fazer o checkout, que acaba por ser mais uns 30 minutos.
Assim que o avião aterrou, mas os passageiros ainda estavam dentro do avião, fiz uma chamada a confirmar a chegada, mas para não ir com pressa que iria levar tempo a chegar à gare de saída.
Mas ele já nem deve ter ouvido, contou-me o pai que desatou a correr, mal viu os sinais de transito para chegar primeiro ao aeroporto e dedicar-me  aquelas músicas :)
Tão obcecados estavam para ver que não viram, acabando por ser eu a vê-los primeiro.
Não houve espectáculo, mas houve descompressão naquele abraço.

Preparação


Foi a primeira vez na vida, que a distância, nos separou, foram apenas 3 noites.
Mas que obrigaram a uma preparação de semanas, a referir que era pouco tempo, logo , logo estaríamos de novo juntos.
A irmã também estava a precisar do colo da mãe, que era importante ter-mos um tempo para as duas, que ela estava num país desconhecido sozinha , precisava de a ver, sentir que ela estava bem.
-Porquê que não me levas?
-A mãe têm estado sempre contigo, a mana também é minha filha, vai ser pouco tempo, vai passar rápido e não podemos estar a gastar mais dinheiro.
-Vais me abandonar?
-A mãe , já te disse que volta rápido, é só um fim de semana, tens tudo preparado ficas com pai, e sempre que quiseres, ligas-me por video chamada assim  a gente fala e vê-se, fomos testando em casa essa forma de comunicar, o que o deixou mais tranquilo e encurtou a distância.

De madrugada, lá me foram levar ao aeroporto, aquela despedida de quem vai sentir a minha falta, divide-me , o cansaço é tanto que já nem dá para pensar.
Sinto a falta daquela companhia, daquela mão que me acompanha sempre...
Vai ser rápido...
As video chamadas superaram em parte a distância, até o ele ter a iniciativa de ligar.