Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

sábado, 29 de maio de 2010

Na base do meu primeiro "encontro" com o autismo (3)

As crianças autistas já nascem assim ou ou tornam-se autistas num determinado momento?

Algumas crianças podem tornar-se autistas após uma doença grave ou uma experiência traumatizante.
Contudo ao que parece a maioria delas são autistas de nascença, embora a doença não se torne evidente antes do 2 ou 3 anos, idade em que a escassez da conduta social, se torna manifesta.

Na escola disseram-me que o meu filho de 8 anos, se distraí muito nas aulas , não presta atenção às explicações do professor e está muito distante. Estas poderão ser as primeiras manifestações de um autismo infantil?

Não. A criança autista apresenta graves perturbações de comunicação desde a primeira infância, e portanto não pode seguir uma escolaridade normal.
O comportamento de seu filho nas aulas poderá estar relacionado com dificuldades de aprendizagem escolar ou nas suas relações pessoais com o seu professor ou companheiros de classe.

Tenho um filho de 4 anos a quem diagnosticaram autismo infantil. Actualmente está numa escola para crianças deficientes mentais, mas um amigo disse-me que seria melhor colocá-lo numa escola especializada só em crianças autistas.
Deverei seguir o seu conselho?


É provável que nas escolas para deficientes mentais seu filho seja tratado, como se a sua perturbação principal fosse um atraso de inteligência, quando não é assim: esse atraso costuma ser consequência das dificuldades de contacto social por parte das crianças autistas, mas não é a perturbação principal.
É muito importante que o seu filho seja tratado por pessoas ou instituições dedicadas especificamente à terapêutica do autismo infantil.

Estas questões foram transcritas de um guia com cerca de 25 anos, ainda assim julgo que com alguma actualidade...Página inicial aquiprimeiras questões aqui
última parte
Nota: devo referir ainda que nenhuma informação aqui transcrita,substitui a ida a um técnico de saúde credenciado e habilitado a diagnosticar

3 comentários:

Mina disse...

Nestas últimas questões, devo dizer que já muito mudou ou nem sequer concordei com elas.
Quanto à causa do autismo ainda não chegamos a uma conclusão salvo o pleonasmo conclusiva.
Sobre a frequência do ensino especial, salvo raras excpeções acho que é no meio escolar regular que devem estar ( com curriculo adpatado).
Na última questão também creio como na anterior não deveriam estar em escolas para deficiência mental, pois não obteriam ganhos.

Embora a instituição (CAO) e falando na época actual foi criada para as perturbações mentais, e até ao momento pouco mais haverá do que isso?!...

Fê-blue bird disse...

Acho também que a integração em ensino regular é também o mais indicado.
Bom fim de semana!
Beijinhos aos dois!

Mina disse...

Fê blue bird
Obrigada e bom fim de semana também para si...

Acho bem a integração no ensino regular, mas não pode ser a qualquer preço, à casos que é necessária uma grande especificidade e não estarem tão expostos pode trazer vantagens, devem ser estudados e adpatados às sua condições, no caso do autismo acho que traz vantagens até porque a sociabilização é uma vertente a ser trabalhada e só no meio de um grupo se pode fazer...
bjocas