Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Difícil de explicar...

É sobejamente sabida a nossa cor clubistica.
E o quanto isso pesa nas atitudes do Bruno, que é altamente influenciável e até manipulável.
Sabemos a vontade própria que ele têm e a adoração ao seu clube, quase auto imposta desde tenra idade, numa família quase toda com inclinações vermelhas.
Mas como em tudo na vida, ensino-lhe e transmito-lhe os valores do respeito para com os outros, e uso constantemente o ditado popular " não faças aos outros o que não gostas que façam a ti", e nem gosto que se alimentem polémicas.
Porque o futebol devia ser apenas desporto e saudável e não uma "guerra",e ele mostra-me os vídeos de agressões que por aqui passam...
Isto tudo bem a propósito, que um colega do pai, sabendo do Benfiquismo do Bruno, lhe oferece um boné e cachecol,onde vem escrita a seguinte frase" Graças a Deus não sou lagarto".
O Bruno, ficou incomodado com a oferta até porque até simpatizamos com os "lagartinhos", e quiz devolver o cachecol, evidentemente que o colega do pai não entendeu.
Ainda se fosse a frase relacionada com o clube nortenho, aí já a aceitava, e não é nem pela cidade nem pelo povo que merecem todo o respeito.
Já o dirigente desportivo, devia defender naturalmente os interesses do seu clube, mas não criar estas rivalidades clubisticas, e quase uma "guerra" norte sul.
Isso não é desporto, é agressão e isso nós não gostamos. E estou farta de dizer ao Bruno que com estes confrontos nós não compactuamos.
Ainda assim ele fica muito inflamado,ora se consegue criar este sentimento num Asperger, imagina-mos aliás vemos os confrontos estúpidos...
Nada, mesmo nada, justifica a violência!...

4 comentários:

Fê-blue bird disse...

Minha amiga:
O futebol é tudo menos desporto.
Ainda me lembro quando era pequena (nasci em Belém) e ia ver os jogos do Belenenses com o meu pai.
Alegria, cor, uma festa.
Tudo se perdeu com a ganância dos dirigentes, com os ordenados absurdos de alguns jogadores com as claques violentas.
Deve ser difícil para si dar a atender ao seu filho que aquilo é tudo menos futebol.
Os jovens são os mais influenciados pelos maus exemplos.
Um beijinho

Mina disse...

Fê blue bird
Nem mais, o futebol é mais um negócio do que desporto.
Nem as familias podem assistir a determinados encontros, que mais parecem batalhas campais, que já vão com esses propósitos da a agressão.
É muito dificil explicar ainda para mais a um Asperger para o qual tudo tem de ser muito linear.

Oh! Belém Belenenses, já lá fui muito feliz rsss
Frequentei a Escola Paula Vicente, que na altura era só 1º. e 2º. ano do ciclo preparatório, toda essa zona me querida, muitas fugas aí ao estádio...
bjocas

Grilinha disse...

Ora bem , nem ponho mais uma virgula !!! Concordo plenamente contigo e estou estupefacta com a reacção do Bruno ! É fantástico os seus sentimentos e atitude ! Honestamente...
Uma atitude bem digna e quanto a mim, carregada de emoção !

Beijinhos

Mina disse...

Grilinha
lool
Não é assim tão desportivista, que se fosse qualquer coisa anti dragão ele já aceitava de bom grado rsss
Aqui funciona todas as influências, das pessoas que o rodeiam. Ainda alimentada, pelo dirigente do clube Nortenho.
Eu cada vez acho e defendo eu mãe que devemos ser sempre a favor, do nosso e não contra os outros.
Mas pronto aquele dirigente, também me causa alguma alergia, pelo seu discurso do contra, e não devia, mas às vezes pagamos da mesma moeda, só que ele tem o poder e nós não, e a ele cabe a responsabilidade de não alimentar este rivalidades.
E Viva o desporto por desporto e maí nada.
bjocas