Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

domingo, 16 de maio de 2010

" Coisas e Coisitas!..."


Ontem no evento organizado pela escritora Ana Martins, em pareceria com o Restaurante Bem me quer Vegetariano.
Uma iniciativa, que julgo inédita, misturar autismo e chocolate, ajuda a desenvolver e activar todos os sentidos(excelente). Gostei da ideia, e da prática, mesmo não estando a agradar ao Bruno, também pode ser falta de prática...
Até porque ele molda barro, porque já está habituado...
Como é sabido cada ser humano difere do outro, e neste espectro acontece igual...
No caso do meu rapaz penso que a visão embora periférica em relação às pessoas .
Em relação a tudo o resto, é muito acentuada e pode ser perturbadora, neste caso com o chocolate a textura líquida e a visão de algo viscoso, não lhe é agradável, inclusive poderia provocar-lhe vómitos, porque a junção destes dois sentidos activada provoca-lhe esse "mal estar".
Fica agoniado com um bebé a babar-se e em outras situações comuns e banais...
No entanto, é capaz de fazer uma enorme " jabardice", ao comer por exemplo um ovo estrelado, e aí já sou eu que fico agoniada xD, rapar o prato até á última partícula, senão conseguir com talher vai à mão...
São particularidades que temos de aceitar, cada um de nós tem a suas, e algumas vezes também não as conseguimos controlar...

6 comentários:

Atena disse...

"Cada um é como cada qual" - esta é uma grande verdade. Parece-me perfeitamente normal que a um homem como o Bruno não agrade sujar as mãos todas de chocolate. E ele até tentou, mas realmente sujar as mãos daquela forma, não era para ele.
Da minha parte tenho que dizer que ameí conhece-los de perto, poder confirmar ao vivo aquilo que eu já sentia por aqui : A Mina é uma mãe extraordinária de dois filhos lindos e um excelente ser humano! Tem um especial brilho nos olhos que mais uma vez me faz pensar que as mães como nós serão eventualmente escolhidas! O Bruno também não me desiludiu nos meus pensamentos: Um adulto, muito bem estruturado, educado e prestavel (adoreí o empenho dele na colaboração com a CERCI's e campanha do pirilampo). Tenho a plena convicção de que pessoas como o Bruno seriam muito uteis se lhes dessem oportunidade. É tremendamente injusto que não o façam e a sociedade fica a perder de certeza. O Bruno tem capacidade para prestar um serviço à sociedade e era obrigação desta permitir que ele pudesse dar o seu melhor. É urgente avançar e desenvolver o trabalho protegido para estes jovens/adultos e é vergonhoso que não se olhe a sério para esta situação! O Bruno e os Brunos que existem no nosso país beneficiariam - como qualquer ser humano que produz, e a sociedade também beneficiaria com o fruto do seu trabalho e das suas capacidades. É preciso batalhar nisto.É URGENTE!
Para a Mãe Mina o meu grande abraço de admiração, respeito pelos sentimentos que percebo a incomodam sobre o futuro, e desejo que nesse futuro, a Mina, venha a poder ver o melhor encaminhamento e acompanhamento para o seu filho. Continuemos a lutar por isso com força e coragem (que bem é precisamos) e com muita fé... acredito que não estamos sózinhas!
Beijo grande

AVOGI disse...

MINA até eu gosto de passar o pao no parto belhac podem dizer mas faço-o , sem vergonha me acuso. e adoro, mas tenho tentado nao fazer nem comer coisa fritadas ou fritas, canao lá vai a linha curva ficar mais curva . deixa lá o rapaz passar o pai onde lhe apetece enquanto pode. que pelo que vejo é magro, ainda não se preocupa com alinha curva a se formar. , mas lá está esta nossa amiga nas suas caminhadas com o filho. bem já disse o k disse agora estou a tentar não dormi em cima do pc. kis :)

Mina disse...

Cristina
Obrigada pela tuas palavras, pronto que já vi que eras uma "miúda" rsss
Também gostei de vos conhecer, e acho que este tipo de encontros ajudam a perceber que há mais pessoas que sentem e vivem como nós, eu até poderia estar mais quietinha no meu canto nem me dar a conhecer, que não é isso que move nem nunca moverá, mas tal como disse na apresentação deste blog, numa fase em que andava à "deriva", tive necessidade encontrar outras mães que me podessem compreender e entender o meu filho, sentir que estamos sós é algo doloroso, por isso sinto-me na obrigação de partilhar, para que outros não sintam essa solidão, e não sou eu que sou boazinha encaro isto como uma missão que o meu filho me veio por á prova, felizmente não vivo amargurada, mas sim preocupada, e não quero nem pretendo transmitir um caminho fechado e a minha luta vai ser sempre para o poder encaixar num emprego protegido, eu sei que ele é capaz( mas até hoje só eu consigo enxergar isso), enquanto tiver pai e mãe ele nem precisaria em termos financeiros, mas em termos de dignidade humana e de auto estima era importante.
Ainda bem que não ficaste decpecionada rsss, o que eu aqui escrevo é a realidade, não forjo nem invento nada, ás vezes até levo as emoções e os sentimentos para além do desejável neste tipo de partilha, mas se assim não fosse secalhar não valeria a apena.
Lool e os meus olhos ontem até estavam com muitas olheiras da noite anterior no flash mob, a Pipa estava mal como deu para perceber e até o Bruno estava de olho inflamado de pouco dormir, mas demos o nosso melhor e gostamos de estar convosco, pena ter sido pouco tempo, mas havemos de arranjar outras oportunidades agora que há-de vir o Verão mesmo ao ar livre pra eles se poderem expandir ainda mais.
Amanhã estaremos de novo no pirilampo, ele já está preparado para as fracas vendas e até já me disse que se amanhã vender-mos 10, já é bom lool isto em 3 horas ihihi
E tal tu dizes eles são a nossa principal fonte de energia e motivação, e percebesse que eles também sabem quem os entende.
Bjocas para vocês três

Mina disse...

Avogi
Lool
Cá em casa,o cesto do pão já não vai à mesa, para evitar o pecado ihihihi, só mesmo no caso do ovo estrelado, o que também é raro embora todos nós gostamos( por causa do "castrol"...
Além demais não está nada magro, já tem um belo de um pneu e a mãe idem.
Temos andado a fugir ás caminhadas ora pelo mau tempo, ora pela falta de tempo e falta de vontade...
bjocas

Fê-blue bird disse...

Mina:
Pelo que escreveu e pelo comentário da Atena por quem tenho também uma grande admiração, só tenho a dizer que tanto uma como outra, são Mães, na verdadeira acepção da palavra.
Tem sido um privilégio para mim desfrutar da vossa visita ao meu blogue e poder partilhar também das vossas experiências.
Um beijinho grande

Mina disse...

Fê blue bird
Ser mãe é estar atento, e dar. Eles são pedaços de nós, mesmo sendo modesta faço o que posso e esforço-me por dar-lhes o que eu acho melhor.
E acredito que quando Deus no dá um filho especial, dá-nos também a condição de o amar e compreender, embora haja dias em também perdemos a paciência, não somos perfeitos...

É para mim também um previlégio que aqui passe, este blog é apenas uma parte de nós das nossas vivências e do nosso sentir, é esse o meu objectivo dar a conhecer este mundo intrigante e fascinante no espectro do autismo, sem fantasias apenas baseado na nossa realidade...

E gosto de ir ao seu para ir a outra dimensão da reflexão da boa disposição da critica, onde eu me revejo, é como se fosse um pouco já meu, e são poucos os blogues a que vou que não falem de autismo, portanto o seu foi um dos escolhidos, não haverá coincidências!...
bjocas