Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Eternamente agradecido...

Hoje continuamos a nossa missão de vender os pirilampos.
Com o turno a começar ás 13, optamos para almoçar no centro comercial.

A seguir descemos ao último piso ao supermercado para comprar água, porque pedir para comprarem o pirilampo gasta saliva e ainda mais que este ano está também ele, o próprio do pirilampo em crise, e nem as expectativas mais baixas que o Bruno tinha se concretizaram, 3 horas para vender 8 pirilampos desanima qualquer um, mesmo não sendo nada para nós se estamos a querer contribuir não é nada animador.
Mas também compreendemos que a vida não está nada facil, e começamos a observar as pessoas no seu sobe e desce...
Mas não era bem sobre isto que vos queria falar, ao almoço o senhor Bruno “latagão”, poisou a bolsa de cintura com o telemóvel na cadeira, para não lhe apertar a barriga, viemos depois a concluir rsss
Porque até lá não sabiamos onde ele a tinha deixado, havia três locais possiveis, a zona da restauração o wc ou ter ficado no carro da mãe.
Mando-o ver dentro do establecimento, vai ver ao restaurante nada, ao wc tem mesmo de ir ele ,também nada, começa logo a entrar em descompensação , apartir dali, gerasse um bloqueio que já mais nada entra naquela cabeça.
O cerebro pára como diz o pai xD
Não havia alternativa, tinha de ser a mãe a fazer todos os despistes,e vou aos locais onde ele já tinha ido e nada, na dúvida vou ao carro, e em todos os locais ligo para o telemóvel dele a ver se dá sinal, até á entrada do wc ihihihi
Numa das ligações atende-me um senhor simpatico, pergunto quem fala e ele devolve me a pergunta:, eu respondo é a mãe do dono desse telemóvel, o senhor confirma, que no visor apareçe lá mãe :)))
No centro dirijo-me a um segurança que me encaminhou até há central, por coincidência o que tinha encontrado a bolsa
Finalmente o Bruno descomprime, digo-lhe que foi aquele o segurança, para ele agradecer.
Lá vai ele dá um aperto de mão , e obrigado.
Só que este segurança era dos tais que anda no escada acima escada à baixo, cada vez que ele passava o Bruno fazia uma vênia e agradecia.
Em 3 horas acho que o segurança ficou farto de tanto agradecimento, que já fazia sinal, que estava tudo bem:)))

2 comentários:

Fê-blue bird disse...

Imagino a sua aflição! Centros comerciais só vou mesmo para fazer compras e rapidamente, pois cansam-me muito.
Mas no seu caso, foi por uma causa meritória, e o final foi feliz!
Um beijinho aos dois

Mina disse...

Fê blue bird
A maior aflição, foi ter de deixa-lo sozinho a tomar conta do "negócio", mais pelo facto de ele a partir daquele momento deixar de estar funcional, é daquelas vezes em que me tinha de transformar em duas, mas até eu ás vezes fico desactivada sem saber o que fazer lool
E deixar os pirilampos sozinhos , também os podiam levar e nós é que tinhamos de pagar do nosso bolso.
Foi mais um medo que eu lhe pôs para ele ficar atento e tentar concentrar-se naquilo enquanto eu tratava do resto.
Ainda ia eu a sair do centro, vejo uma miúda a tocar num pirilampo, e ele agarra-lo antes que ela o levasse kkk
Felizmente acabou, bem e até foi rápido, mas o suficiente para lhe causar uma grande ansiedade...
Já passa pouca gente no centro comercial e de sacos vazios, vemos pessoas aa passar no mesmo local várias vezes, devem andar a fazer contas de cabeça. Notasse e bem a crise.
Até no pirilampo, ao que parece o 2º turno ainda foi menos rentável que o nosso:(
bjocas