Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

"Fogo", digo eu!...



Estes meus meninos, têm "chauffer" particular a qualquer hora...
Ontem a filhota: Ah e tal não há aulas. Houve um apagão, vem-me buscar...

Esta manhã a mãe e o Bruno foram a uma consulta de rotina, para fazer alguma vigilância.
Já havia avisado o Bruno antecipadamente que depois haveria necessidade de fazer análises clínicas, para ver se está tudo bem. Ele está a ganhar muito peso, e com uma vontade de comer insaciável, pois ingere sempre os alimentos à pressa o que não o deixa saciado.
Mas bastou este "click" das análises para tudo o resto ficar esquecido. Agora os neurónios passaram a estar concentrados na" picadela" que há-de levar.
Ele que até é um picuinhas com a saúde.
Só que agulhas? isso é que não...!
Depois da consulta viemos almoçar ao enclave*, para da parte da tarde ir para o fórum. Iria na carrinha, que já estava a porta.
Mas hoje tinha a "pancada" que iria de TOMA*, porque na carrinha chegaria lá muito cedo e não gosta de estar a "secar"...
Ora toma, o TOMA, não passa ali perto. Lá vai a mãe até a paragem mais perto, a das piscinas municipais, supostamente teria passado um há uns 2 minutos, só meia hora depois viria outro e já passaria da hora de entrada no fórum.
Lá vai mãe levá-lo à zona do fórum.
Regresso finalmente a casa... Passados mais ou menos uns 20 minutos liga-me o Bruno.
-Tenho as calças encharcadas.
Estranhei... Hoje nem está a chover.
Não é que o bom do meu "menino" senta o rabinho numa cadeira ensopada e só quando sente as calças bem molhadas se manifesta?
Lá vai a mãe de novo com calças secas, para trocar... Mas não estava a acreditar que as que tinha vestidas pudessem estar tão molhadas, já pensava que ele estava exagerar...
Como o recinto do fórum estava com água por todos os lados, optei por trazê-lo de volta...
Até porque nem a iluminação poderiam ligar...
E aquela cabeçinha onde andaria para não ver a cadeira molhada? A pensar nas agulhas!?...

*enclave-Local onde são servidas as refeições
*TOMA-Transporte público rodoviário das Caldas, na zona citadina

15 comentários:

Visite www.arteautismo.com disse...

Oi Mina,
Sabe é muito bom vir aqui . Pois a gente tem tanta coisa em comum, que ao ler-te, refresco-me e não me sinto uma tantã. Rs , tantã aqui é maluca rs
É menina dei agora também para esquecer sempre algo.Esqueço nome das plantas qdo o cliente pergunta. Sabe quando tá na ponta da língua? Só lembro depois ... Corri ao médico e ele diz ser extress. Sei lá acho que é muito cansaço mental. Muito pensamento.....De florista, paisagista , mamã do Filipe de plantão 24 horas.Dona de casa ,
Este mês graças a Deus, Filipe passou 2 meses sem dar convulsão.Deu uma quase imperceptível na segunda.Penso que esta melhorando. Uma nova medicação. Uma nova tentaiva . Outra perigrinação. Tomara!
E também tá dificil de voltar a dieta ele e eu hahaha..... A gente come Mina.
Por conta das férias saímos do ritmo. Tenho qwue reagir , por mim e ele.
Quanto a as calças molhadas , isso é normal Mina.
Nossos meninos são assim. Mas são nossos amores.
Beijinhos com saudades.
Ray

AVOGI disse...

Pelos visto anda toda a gente stressada no ano novo. Quando será que vida de mãe é fácil? Nunca. quando se pensa que os filhos ao cresceram serão mas autónomos e vão-nos libertar nada disso acontece. Filho é filho. Sempre.Eu costumo dizer que da minha casa saiu uma e entraram 5. Por isso Mina e Ray não é fácil.:)

Mina disse...

Oi minha amiga Ray

Quando encontrar uma vitamina milagorosa para o esquecimento, lembra de mim e manda a receita, ok.
Acho que é mal da "idade", dos pensamentos acelarados, ainda não exectamos uma tarefa, já estamos a pensar noutra e do trás apagou-se o que vale a gente pelo menos reconhece este desmemoriamento, o nosso computador está carregado de preocupações, e desejos.
Imagina, que eu há dias quando foi a festinha de anos da filhota, andei a tirar as chaves dos móveis da sala, para não me "assaltarem a garrafeira", claro que a porta das garrafas é só uma, mas como qualquer uma das chaves dava, retirei todas, acredita que não sei onde as escondi lool
Paciência elas hão-de aparecer, tá ver "conjunto tantã" kkk
Hoje a médica também passou um medicamento ao Bruno, para ver se ele assenta em terra, por alguns momentos, ele também tem o pensamento sempre adiantado, já estava a pensar nas analises o resto apagasse, já nem sabia bem como se tinha molhado...
Quando cheguei lá estava ele literalmente com as calças na mão num wc interior ás escuras, pois não podiam ligar a luz por causa dos curto circuitos.
Um edificío que acabou de ser restaurado, e a chover lá dentro que estragou os PC novos...
A Dieta amiga vai ficando no pensamento rsss, até a médica disse que ele já está com muita "banha", e ele foi se pesar pesa 74 p´ra aí, não está obseso diz ele e é verdade, mas têm aquela gordura abdominal que é a mais perigosa...
O comer rápido, não o deixa saciado, mas já se tornou hábito, porque diz que não têm tempo por causa das carrinhas o que é certo é que ele em casa agora também faz o mesmo. E como têem uma vida muito sedentária, não ajuda á dissolução das gorduras, o melhor exercício do meu é uma "caminha" e um tv enroscadinho nos cobertores.
E deixe-no estar.
Felizmente o meu não têm convulsões, que imagino, é mais uma preocupação, ainda bem que estão controladas, já que á pessoas que acabam mesmo por passar com a medicação adequada...
Bjocas grandes

Mina disse...

Avogi
Nem mais, quando a prol aumenta, acrescenta mais amor e mais preocupação...
Mas eu entendo a Ray, acho que mães de autista acabam por gastar mais a cabeçita, com esta preocupação constante de que os nossos filhos nunca vão ser sempre independentes.
Hoje estamos cá, e amanhã, quem lhe levaria as calças, ficaria molhado!?...
Vinha no carro a dizer-me que a preocupação dele eram as calças molhadas, mas já as tinha trocadas kkk
Na brincadeira mas meio a sério, até lhe disse:E se tivessem uma muda de roupa para qualquer precalço, como as crianças têm nos infantários!?...E ele até concordou.
Mas nada mesmo com a cebeça, no ar, ontem não levou o fato de banho, mas deixou umas cuecas por lá, fica sempre qualquer coisinha...Veio com cuecas sim kkk, que tinha levado as substitutas rsss
bjocas

Mina disse...

Confusão da cabeçita.
Os nossos filhos nunca vão ser independentes... Não sei porque meti o sempre kkk(na resposta à Avogi)
O que vale vou-me rindo das minhas "maluqueiras" xiiii

Atena disse...

Olá Mina... Parafraseando a Ray, molhar as calças faz parte, como tantas outras coisas... felizmente muitas delas boas. Eu tenho tendencia a virar-me para as boas. O meu Vasco agora descobriu que tem tomatitos, mas omo não sabia aonde, eu estive a fazer uma demontração in loco. Outra aprendizagem em que me diverti muito. Sobre o esquecimento das mães como nós... e das outras... xxiiiii, às vezes parece-me é que tá tudo doido. Não é nada coisa da idade amigas, vcs são mulheres maduras, não são mulheres de idade, além disso, aqui a minha cabeça tem dias que mistura mesmo alhos com bugalhos. É só esperar por outro dia para rejuvenescer a mente. Pensar sobre quem ficará com eles no futuro... às vezes penso... mas pouco. Tenho um espírito voltado para o idealismo e nunca deixo esse pensamento "sarnar-me muito mais que um minuto. No minuto seguinte digo: mas afinal quem é que sabe o futuro? Os pais daqueles que não são autistas andam por acaso descansados? Não me parece, às vezes sofrem loucuras porque os seus filhos estão com problemas no trabalho, ou com as mulheres deles, e sofrem até mais não. Nós cá disso não devemos ter (em principio). O Futuro Mina, ninguém saba mesmo. Não há ordem para viver, nem dia para morrer. Podemos até morrer todos de um minuto para o outro (veja o que aconteceu no haiti). E aqueles pais cujos filhos se drogam, alcoolizam, estão presos, se suicidam, não lhes falam, morrem abruptamente em acidentes, surge-lhes uma doença em qualquer altura da vida? Algumas destas coisas também podem acontecer com os nossos, mas não são inerentes apenas aos nossos. Ninguém sabe o futuro... há é pais que sonham muito com ele e vêm-no sempre cor-de-rosa e olham para nós como se não sonhássemos, ou como se os nossos sonhos fossem todos pretos.
Eu tenho cá os meus sonhos, se levar mais marretadas, hei-de aguentar-me, faz parte do caminho, e não é só no autismo que acontecem marretadas.
Vivo mesmo um dia de cada vez e sabe-me bem assim. Ainda que viva em muito stress, talvez acima do normal, vou vivendo com isso. Gosto de cada bocadinho dele como ele é, ainda que tentando que ele consiga subir mais alguns degraus. Estareí com ele seja em que degrau for e feliz, não quero que ele sinta tristeza em mim pelo problema dele ou pelo que a sociedade faz ao problema dele. Eu aceito-o como ele vier a ser. Se eu morrer primeiro, alguma coisa se há-de arranjar, até porque ele também não fica cá para semente.
Força Mina, e desculpe mas até acheí engraçado o episódio das calças molhadas... já me aconteceu também a mim, só que não tive a minha mãe a apoiar-me... foi embaraçozo, mas hoje riu disso.
Grande abraço
Cristina

Mina disse...

Cristina
Faz bem o estudo estudar a anotomia com ele, o meu desde cedo reconhecia as partes do corpo humano... Mas cuidado com os tomatitos, já sabe que sou brincalhona e aqui até faz sentido, não vá ele confundir os "tomatitos", testiculos, com os" tomatitos" legume ou fruto já nem sei bem o que é kkkk e agora aproveito para explicar, não há minha amiga que saberá, mas para estas crianças as palavras só deveriam ter um significado...Que eles confundem imagine que chega ao supermercado e está aqui uns "tomatitos", e ele poderá ficar a pensar mas afinal o quê que são os "tomatitos" a minha mãe anda-me a enganar rsss
Depois desta salada em frente kkk
Ora eu e a Ray já estamos maduras rsss, mas eu falo por mim e sem que com isso queira estar a influenciar alguém, é apenas partilhar com a maior das sinceridades, senão não o faria.
Mas em mim a preocupação com o futuro têm aumentado há medida que os anos passam por mim e por ele, e só ficaria completamente tranquila, quando houvesse uma casinha que o recolhesse com o mesmo amor e onde ele podesse ter o seu espaço privado, que isso é muito importante para eles, por mais que digam que é preciso e é sociabiliza-los. E, é. Também necessário respeitar essa vontade deles, não há condições criadas nem sei se algum dia haverá para o efeito, e vesse nos nossos velhotes que se sentem tão desenraízados, que saiem dos seus cantinhos e vão para os lares dividir um quarto com mais alguns, perdendo a sua privacidade...
As calças já secaram rsss mas ele não acha piada nenhuma a estas molhadelas, e estava bastante stressado com as calças na mão... Até porque sentido de humor também é coisa que ele não têm, ás vezes têm de perguntar: È para rir?!,...
Vou deixar o outro comentário a ver se ele depois quer responder, só que ele tem sempre pouco de antena, hoje safou-se que veio mais cedo... Que a mana não dá muitas tréguas o dia dele é o domingo, mas opta pelos jogos e ver os climas...
bjocas e divirta-se muito com o Vasquinho, eles são uns doces

Visite www.arteautismo.com disse...

Oi Mina,oi Bruno,
As calças molhadas foi apenas um acidente comum. Voce teve o tino de telefonar a sua mãe para levar outra seca. Acontece querido, não se ligue.
Olha para te animar vou contar que me aconteceu quando tinha uns 12 anos. Antigamente por aqui no Brasil se usava umas calçolas que tinha botões laterais. E eu tinha várias delas. ( Eu não sei porque elas acabaram, aquilo é que eram calcinhas de verdade,eram feitas de tecido, modelavam o corpo e não deixavam crescer nenhuma barriguinha) Mas ops Bruno isso é apenas um detalhe sórdido kkkkkk
Mas é só para te contar o meu constrangimento.....
Pois então , não sei porque caíram ,será porque estavam meias frouxas , ou talvez não as tenha abotoada toda . Só lembro que no caminho de casa elas caíram ao chão.
Tu imagina a gandaia que foi com os colegas que viam atrás?
Rachou a minha cara ......as calças no chão e eu sem saber o que fazer. Minha dizia , isso só acontece contigo.
E eu tinha um amigo homosexual de turma , que foi o que mais riu.....
Que eu fiz? Creio que foi a melhor opção. Tirei as calças botei de baixo dos braços e fui correndo para casa , com todos os ventinhos e gargalhads..........
Creio que vem da aí minha tantisse. E minha compreensão ao Filipe.
Enfim Bruno não se ligue nisso, pra mim é normal.
Deixo pra voce a reflexão do nosso cantor Caetano Veloso.
( De perto nínguem é normal )
Beijos pra ti e Mina.
Ray

BrunoV. disse...

Ray,
Eu tenho vergonha de andar em cuecas na rua. Eu penso que andar em cuecas na rua é considerado crime. Eu tenho muito medo que aquilo que eu faça seja um crime punivel com pena de prisão.Por isso eu quis trocar de calças. Então eu vou para a casa de banho e mudo as calças sem ninguém ver.
Beijos

Mrs_Noris disse...

Bruno,
Eu compreendo esse medo de pisar o risco. Também tenho muito medo de, inconscientemente, poder cometer uma infracção, ainda que meramente disciplinar.

Mas olha, um destes dias, andaram uns passageiros em cuecas no metro de Lisboa e não lhes aconteceu nada, ainda que pudesses ter ferido susceptibilidades. Já viste? :)!

Beijokas.

Mrs_Noris disse...

Eu queria dizer "pudessem" e não "pudesses".

Mina disse...

Noris
As cuecas, que desfilaram no metro, não eram de marca rsss, como as que o Cristiano Ronaldo publicita rsss

O Bruno diria, que o problema não é pisar o risco, até porque ele não ia entender o que queres dizer com risco rsss. Risco para ele será uma linha. Mas sim andar em cuecas, é que ele é sempre vitima, e era logo apanhado
Quando lhe expliquei a situação da Ray, tive de dar exemplos que ele também anda em fato de banho, não era nu.
Ainda assim.
Acho bem que ele tenha esta preocupação em preservar a sua intimidade, é muito importante.
bjocas

Mina disse...

Noris
Lembrei-me agora, a propósito da tua referência ao pisar o risco, para o Bruno seria simplesmente pisar uma linha (risco), não o fugir a uma regra como tu quererás dizer.
Ainda sobre os sentidos literais, veio-me esta uma frase do livro "mal-entendidos"
Referir a uma criança que fez algo de errado e dizer "bonito serviço", a ela vai-lhe soar que fez bem.
Logicamente se é bonito, não é mau.

Mrs_Noris disse...

Mina,
O meu filho percebe o tom irónico dessa expressão pois quando lhe digo "bonito serviço", ele defende-se logo.
Já as metáforas são mais complicadas, mas também o que é que se espera de uma criança de 7 anos? Ainda é cedo.

Mina disse...

Noris
Naturalissímo, metaforas ás vezes nem nós adultos percebemos.
Mas saber ler os sinais não verbais, é um excelente prognóstico, coisa que o Bruno nunca conseguiu fazer.
Quando muito, se me visse triste, diria: "estás com essa carinha", sem perceber bem esta minha carinha, sim por que eu tenho carinha rsss
bjocas