Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Dia da cirurgia...

Em casa os primeiros dias foram de grande cansaço, a hemorragia, foi desaparecendo, mas a anemia já tinha atingido valores muito elevados, tinha de me restablecer ao máximo.
O internamento estava marcado, para dia 25 de Novembro, para efectuar a cirurgia no dia seguinte.
Com muita fé e esperança, mas com algum medo, lá fico instalada na enfermaria, a fazer a preparação, pré-operatória . Na cama ao meu lado está uma senhora de setenta e tal anos, bem disposta e animada , e também ia ser operada!...
Ora ali estava ela a dar-me uma lição de vida.
Na manhã seguinte, lá vou para o bloco operatório, mesmo sedada sentia um friozinho e uma vontade enorme de urinar (nervoso miudinho está claro), o cirurgião lá permitiu que me colocassem a arrastadeira, uff... que alívio...
A partir daqui apagou-se tudo, lembro me de estar deitada numa "pedra gelada" tanto era o frio, que ligaram algo para me aquecer, a mana esteve na visita das 15 h e eu nem dei por ela, o tempo de estada no recobro foi longo possivelmente pelo meu estado debilitado, mas mesmo assim consegui abrir os olhos e ver 19h num relógio, e apercebi-me que ainda não estava na enfermaria.
E estava na hora da visita, perguntei então como posso ver os meus filhos.
Enquanto isto cá fora, aguardavam os meus filhos com outros familiares.
A visita daquela hora era só para marido e filhos o marido não pode estar, então foi a mana e a sobrinha acompanhar.
Sabendo disso a minha sobrinha disse ao segurança que também ela era minha filha ( e até é rsss).
Mas o primo Bruno, não achou bem e fez questão de lembrar,e frisar bem alto á prima em frente ao segurança.
Não, não tu estás enganada, não és filha, tu és sobrinha...rssss
Eu estou a imaginar a sobrinha encolher-se, por ser desmascarada por ter arranjado um primo irmão á pressão.
Houve bom senso e a prima pode acompanha-lo que ele não conseguiria ir ver a mãe sozinho.
Lá dentro na sala do pós operatório, o Bruno preocupou-se em inquirir a enfermeira, sobre os aparelhos a que a mãe estava ligada, e outros que por lá se encontravam rsss
Saber como é que a mãe se sentia, nem por isso rsss
Nesse dia sob o efeito da anestesia, por pouco dei, dei apenas pela presença deles.
No dia seguinte quando me contaram a cena da prima "apanhada", não pude deixar de rir, até quase rebentava os pontos.
Como é que um adulto, não deixa, passar assim uma mentirinha piedosa rsss

4 comentários:

avogi disse...

Até teve piada e só demonstra o desejo de querer ver a tia daí a mentira,mas em frente a pessoas, fica-se com rabo de palha, principalmente a pessoas que não entendem a mentira, que para eles a verdade é o que conta. são as pessoas genuínas. Bom fim semana

Mina disse...

Avogi
A intenção dele, não era "encalacrar" a prima rsss
Mas as pessoas com esta síndrome são tão inocentes, que dizem aquilo como o maior naturalidade. Mas a verdade,ás vezes é incómoda rsss
A prima tinha feito muitos kms para ver a tia, com uma gravidez de sete meses só mesmo uma sobrinha especial... Tinha mesmo de entrar secalhar o segurança condescendeu também pela barriguita rsss
bjocas e bom fim de semana também mesmo chuvoso rsss

Estrumpfina disse...

Devia ser proibido contarem coisas engraçadas a quem acabou de levar pontos.

bjs

Mina disse...

Estrumpfina
Tive de me segurar á barriga, mas até deu para aliviar a dor, e, é daquelas coisas que só de lembrar ainda me dá para rir.
Como é que um rapaz de 19 anos se sai com uma daquelas, sou um inocente asperger...
Até que com a outra senhora idade que estava connosco era sempre uma animação, ficou conhecida pela senhora das ametades rsss
Tudo que lhe davam ela tomava ás metades meio "papo seco", meio comprimido enfim era sempre uma risada no meio das dores
E se era para ser um tempo para recordar com dor até foi com alegria que ainda hoje falamos as 3pessoas que estavam naquela enfermaria, a que chamamos de suíte rsss
Rir ajuda a recuperar...
bjocas