Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

sábado, 23 de março de 2013

Comunicação



Não é alergia, não é insensibilidade, é uma particularidade, inabilidade para comunicar.
Enquanto muitos ficam entusiasmados com dia de aniversário , ele fica logo apreensivo e alterado de véspera, com as pessoas que lhe vão ligar a dar os parabéns, e que lhe fazem as habituais perguntas de circunstância, a que ele lá responde à medida da "corda" que lhe dão e da insistência do outro lado.
Tudo o que toca nesse dia ele acha que é para lhe dar os parabéns, até já tem guardada na memória a lista de pessoas que habitualmente ligam todos os anos.
Alguns talvez por notarem esta dificuldade, já nem ligam.
Este ano estava numa de "birrinha" que não queria atender, ainda por cima de manhã cheio de sono, lá o obriguei a levantar-se fazendo uma chantagenzinha, que era a avó, e já tinha mandado a prenda, ele tinha que ir agradecer :)
Mas afinal a primeira chamada, foi a tia L... e lá falaram um pouquinho de comboios, a tia era portadora de um recado da avó, que não conseguia ligar-mos.
Como o número mudou, e nossa memória, já não encaixa números novos, enviei sms à tia M......., para nos enviar o número.
Já com número, agora vais ligar à avó, que ela não consegue, e agradeces.

-Estou!!! a tia L.... disse para te ligar, e a tia M....... , mandou número, é para te agradecer a prenda ( vá lá! que esta não disse, que foi a mãe que disse) :)
Cerca de um minuto já tinha acabado a conversa e desligado.
-Então filho, não falaste mais com a avó!?
-Ela não estava com paciência (diz-me ele)
Percebi, que se de" lado chove , do outro caí água"!. e não houve comunicação de ambas as partes, que já ambos precisam de muito estimulo para falar.
Acabamos por fazer 200km e fomos partir o bolinho com avó.
-Ele, assim ao pé,gosto mais.
Porque já não são necessárias a palavras , para haver a comunicação.
Complexa, forma de comunicar!

8 comentários:

São disse...

rrss é mesmo, Mina, o ser humano é complexo...mas verdade seja dita , é muito melhot quando se tem a pessoa ali ao alcance da mão, não é?

Felicidades para vós.

Nina disse...

Complexa, de facto, mas uma ternura!:)))

beijinhos

Mina disse...

São

Ainda consegue ter alguma empatia :) o telefone não é visual, nem apela aos outros sentidos.
A presença, mesmo que sem linguagem verbal, transmite outro tipo de emoções.
Ás vezes a palavras , só estorvam, para graçha basta a mãe :)
Beijinhos e b.f.s

Mina disse...

Nina

Complexo e desbocado, denunciou logo que não tinha sido por vontade própria :), que frete ter de ligar rsss

Todos os tipos de comunicação tem que ser mais forçados e estimulados, levar para área de encantamento :)

Beijinhos e b.f.s

quem és, que fazes aqui? disse...



A presença, mesmo que silenciosa, é já por si uma forma de comunicação. E eles (avó e neto) sentem isso.

Beijinhos para vós

Laura

Mina disse...

Laura

Hoje estou numa de provérbios rsss
"quem mais fala menos acerta", assim sou eu :), que falo demais :)
Para ele, mesmo em casa basta a nossa presença e a segurança que isso lhe traz.

Beijinhos

Fê Blue bird disse...

Prima:

Mesmo sem haver grande "palavreado" valeu a intenção :)
E ao vivo é outra coisa! .D

beijinho

Mina disse...

Prima Fê

Sem dúvida que ao pé é outra coisa :) umas vezes pela positiva outras pela negativa rsss
Mas nada como o face to face :)

Ahahahah modéstia à parte, quem me vai conhecendo diz que sou mais gira ao vivo :))))

Beijokinhas