Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

"Comparar! Incomparáveis!"

O que é que os telejornais tem a ver com o J.P.
É que fez dois anos desde que ele me agrediu e quando um acontecimento muito importante faz anos como foi o caso do 11 Setembro o atentado às Torres Gemeas eles sempre que chega a essa data, eles falam nisso nos telejornais.
------------------------------------------------------------
Eu não me importo de fazer a barba mesmo estando a fazer a digestão do almoço por causa do J.P.
E se perguntares o que tem a ver eu fazer a barba a fazer a digestão do almoço com o J.P. é muito simples.
Quando eu fui agredido pelo J.P. no nariz deitei muito sangue do nariz e não parou a digestão.
E se eu deitar sangue depois de fazer a barba mesmo estando a fazer a digestão não me para a digestão porque se não já me tinha acontecido o mesmo depois da agressão.
-----------------------------------------------------------------
Agora que já acabei de fazer downloads de locais.
Agora vou passar a fazer downloads de horários das turmas escolares sobretudo do terceiro ciclo e do secundário onde andam adolescentes e faço o download por causa do J.P.
E se tu me perguntares o que tem a ver os horários com o J.P é muito simples.
O J.P na hora que me agrediu eu tinha dito que ele não deveria estar ali no fórum mas sim na horticultura.
Porque estava lá afixado o horário do J.P, então o mesmo se passa com horário dos alunos nas escolas.
Um aluno de uma determinada turma deve estar a ter aulas numa sala e não noutra.
Eu quero verificar se não acontece o mesmo nas escolas se um aluno de uma turma que no horário esteja lá que deve estar numa sala esteja noutra não vai o aluno da turma que esteja naquela sala e diga: "tu não és para estar aqui nesta sala, és para estar noutra"
Se houver na sala de aula algum aluno que entre numa sala de aula sem ser a dele e que seja problemático como o J.P. pode ter problemas na escola e partir para a agressão ao aluno que disse que não devia estar nesta sala e não noutra.
Nas escolas o conselho executivo devia tomar medidas de prevenção a estas e outras situações que coloquem em risco a integridade física dos outros.
Bruno V. Outubro de 2012
------------------------------------------------------------------
Três fragmentos da escrita do Bruno, rescritos na íntegra.
Das dezenas ou centenas que ele têm sobre este assunto, passei estes por serem os mais recentes, no mês em que passaram dois anos sobre o acontecimento que tanto o marcou.
Eu própria que lido com ele à tantos anos, ainda fico intrigada com este racicíonio ou linha de pensamento se assim lhe quiser chamar , não deixa de ser linear.
Mãe Mina

13 comentários:

AvoGI disse...

mas olha que é certo o que ele diz: as escolas deviam tomar precauções sobre os agressores, por nao se tomar providencias é que anda tudo à pancada
kis .=)

São disse...

Quanto às agressões, infelizmente, sempre existiram e acho que não vão parar.

Neste momento até os professores e pessoal auxiliar sofrem agressões.

Penso que se passou de um extremo a outro em tudo e se confundiu liberdade com libertinagem.

Um abraço para vós.

Mina disse...

Avogi

ahahah sem dúvida.
No entanto essa frase parece que está descontextualizada e nem parece dele por ter uma visão lúcida do que se devia fazer.
Por isso estas pessoas são tão enigmáticas.
beijinhos

Mina disse...

São

Infelizmente,à uma grande permessividade e deixou de haver regras e respeito.

Mas neste caso foi uma situação expecional o jovem agressor é uma pessoa com perturbações mentais que não sei se tem ou não consciência dos seus actos, pelo que os monitores diziam que ele não era inimputável, mas o meu é sofreu as consequências que deixaram marcas para o resto da vida.

Beijinhos

Nina disse...

Incríveis as consequências da agressão. É como um novelo.:(

beijinhos

São disse...

Pois, se tem perturbações...não é responsável, de facto. Mas , então, deveria haver redobrado cuidado para que , às tantas, não tivesse ocorrido essa infeliz situação - que traumatizou o Bruno!

Beijos para vós.

Fê-blue bird disse...

Prima, desculpe a ausência não tenho andado muito bem, mas isto tem que melhorar :)
Acho que para o Bruno, a escrita é uma maneira de ele lidar com o trauma.

beijinhos aos dois

Mina disse...

Nina

A forma como ele contextualiza a agressão em tudo, é terrivelmente assustadora.

Beijinhos

Mina disse...

São

Claro que devia haver mais vigilância e nem sequer era a primeira vez, e pelo que ele me contou as provocações já ficam da hora de almoço.

Foi de uma grande irresponsabilidade deixa-los sózinhos, falta de profissionalismo.

Sabe o que me disseram na altura, que poderia ter acontecido em qualquer lado:(, que falta de argumentos:(

Beijinhos

Mina disse...

Prima Fê

Espero que recupere rápido, sentimos muito a sua falta.
Temos que combinar o nosso cházinho a ver senão passa deste ano, para arribar:)
Quanto ao Bruno:
São fraturas psicológicas que ficam para sempre, ainda por cima nestes rapazes que tem memória de elefante, o facto é tão marcante como o atentando às torres gemeas, só mesmo numa cabeçinha "aspie"

beijinhos

São disse...

Em qualquer lado?! Francamente!

Essa tolice faz-me lembrar uma situação profissional minha: eu desempenhei , além de muitas mais funções, a de supervisora técnica e pedagógica das famigeradas IPSSs.

Logo no início (e já com o edifício feito)deparei com um espaço exterior duma delas , igualzinho a um jardim público , incluindo canteiros limitados por muretes quase ao nível do chão e esquinados!

Estávamos eu, a minha colega(Técnica de serviço social) e o arquitecto olhendo para aquilo e decidi perguntar-lhe o motivo de desenhar daquela maneira tão inadequada aquele espaço.

ESpante-se com a resposta:"Drª, as crianças têm que se habituar a estes espaços: é como se estivesse lá fora!" e eu disse-lhe que se a razão era essa talvez fosse meçhor arranjar também uns autocarros para ali circularem, pois ficaria tudo mais completo.

Aliás , aquele edifício foi um dos mais graves exeplos de desperdicio que ainda vi com dinheiros públicos.

Um abraço grande, com desculpas pelo tamnaho do comentário

São disse...

Mina, volto para lhe pedrir que vá até ao "são" onde há algo para si.

Espero que lhe agrade e aceite.

Bons sonhos.

Mina disse...

São

Os comentários nunca são grandes, obrigada.

Há coisas que n~em tem explicação, só quem vê, e à gente inconveniente como nós;), que vê e fala mais do que deve ;), seremos um bocadinho "Aspies", com falta de filtro social, para comer e calar;)
Beijinhos

Ah! Obrigada pela distinção, pelo carinho e contribuição que trás a este blogue...