Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

domingo, 12 de abril de 2009

Decepção...desilusão...



Quando se gosta realmente de algo ou de alguém e não há correspondência ficamos decepcionados. Nem um portador de Síndrome de Asperger fica imune às desilusões. Às vezes pode-se pensar que são ausentes de emoções, mas não. Podem é ser contraditórias, ou não...Na TV, não liga muito aos jogos do clube, mas no estádio sofre como um adepto ferrenho.
No caso do Bruno, vibra e sofre com o seu clube de coração ou de "imposição", que lhe foi" injectado" de bebé, e como há quem diga quem nasce Benfiquista, morre Benfiquista.
Ele ontem sofreu uma desilusão, todos os jogos que ele tem acompanhado, nas bancadas da "catedral" o seu clube ganha, mas ontem, a sua presença no estádio não surtiu o efeito do décimo terceiro jogador.
Quando lhe liguei, após o término do jogo, manifestou todo o seu desalento...
-Já nem dou sorte ao Benfica - dizia-me, vou deixar de ser sócio.
-Pois claro filho, acho bem!..Esse bilhete grátis sai caro no final do ano, dava direito a um bilhete de ouro.
- Pronto filho agora já passou, dorme bem, disse-lhe via telemóvel:
- Estou a pensar na derrota do Benfica, respondeu.
-A que horas é o expresso para a mãe te ir buscar e para vires almoçar connosco.
- Estou a pensar na derrota do Benfica...
- Queres ficar na casa dos tios até 2ª. feira?
- Estou a pensar na derrota do Benfica...
Tive de desligar senão a derrota ia continuar...
Como depois do fim do jogo já não havia transportes para regressar, teve de pernoitar na casa da tia.

Hoje, de regresso a casa, ainda a sair do expresso.
- Disse logo ao pai que estava no terminal á espera dele, o Benfica foi roubado,em alto e bom som... e quis aqui colocar a prova do lance.

6 comentários:

Mrs_Noris disse...

Espero que Bruno já tenha esquecido a derrota.
O meu rapaz mudaria logo de equipa. Ele torce sempre pelo que está a ganhar e até muda a meio do jogo se for preciso. É assim: começa o jogo e ele está a torcer pelos vermelhos, mas os vermelhos sofrem um golo e ele: "Agora vou torcer pelos azuis". E pronto, não há volta a dar.
Beijinhos.

Mina disse...

Noris
o Bruno é de ideias fixas, e ainda andou ontem o dia todo a massacrar, com o assunto.Assim que saiu do expresso e fez aquele comentário em voz alta, pediu também a pai para ir comprar o jornal desportivo, para ler sobre o jogo e os comentários jornalisticos, até eu que sou um pouquinho "coxa", nestas matérias estive com ele a analisar os casos do jogo que vinham no "record", que os árbitros também se enganam, e não é sempre contra a equipe dele, analisamos o caso da expulsão do jogador da académica que também foi um erro. E não se podem queixar dos árbitros a equipe é que não anda a jogar bem. Veja bem que até ponderou mudar- se para o clube rival, que pelo menos vence os jogos. É sinal que ficou mesmo desiludido e muito... É que ele estava convencido que a energia dele nas bancadas ia dar a vitória, á sua equipe. Não gosta mesmo nada de perder, e nem há meio termo ou ganha ou desiste se vir que não vai vencer, as derrotas não encaixa, mesmo quando ele está a jogar jogos de estratégia. Ficou muito zangado com o árbitro, que ainda por cima é seu conterrâneo. Opa!..isso não se faz rsssss. Espero que para a semana o Benfica se redima no Bonfim, a ver se ele acalma.
bjocas

Claudia disse...

Olá querida Mina!E olá Bruno também.
ontem já tinha dado uma vista de olhos aqui pelo blog, só não comentei porque não estava a conseguir.
muito obrigada pela visita ao meu blog.E pelo carinho demosntrado.
A Mina leva já uns aninhos de avanço :D E nem imagino os obstáculos atravessados durante tanto tempo!
Sei que por vezes as mães também precisam de colo, de falar do que sentem, sentir que alguém nos compreende.
Eu tenho quase a idade do Bruno, tenho 25.E por vezes não é fácil andar para a frente.O meu filho ainda só tem 5 anos, mas por vezes tenho um desgante tão grande psiquico, que não sei se dou conta do recado. É que para além do Dani, tenho uma menina de 3 anos e um bebé de 9 meses, que até agora penso que sejam, ditos "normais".
Espero que possamos trocar experiências, pois tenho sede de saber tudo à volta do SA, preocupam-me o amanhã.Especialmente a escola. Mas um dia de cada vez, não é assim?
Beijinhos para os dois.E vamos estando por aqui.

Estrumpfina disse...

Bruno, ser benfiquista é assim mesmo. Sofremos muito, mas o nosso clube é grandioso por mais triste que nos deixe vibramos sempre com a águia ao peito.

A próxima época vai ser melhor, deixa estar.

beijos benfiquistas

Mina disse...

Claúdia
Temos mesmo que viver um dia de cada vez, e uma coisa eu já lhe posso garantir , que tem muito mais informação do que eu tinha a 20 anos atrás, quando comecei a suspeitar de algo diferente no meu filho, mas ,há também que saber gerir e adptar a informação, pensar sempre que cada caso é um caso, e o que acontece a um não tem de acontecer inevitávelmente a outro, embora haja fios condutores.
Não deve ser facíl gerir uma família com 3 crianças pequenas, portanto é muito natural o desgaste, mas pense que é passageiro.
Se for da zona de Lisboa ou no Porto julgo que também há reuniões de pais, que se juntam uma vez por mês para falar das suas experiências, talvez ajude a diluir as angustias...
Bjocas

Mina disse...

Estrumpfina

O clube já anda a patinar demais, não há coração que aguente xd.
Eu fartei-me de dar lições de fair play ao Bruno.
Ele só me respondia que tinha mau perder loool.
Acho que o maior desencanto dele, foi terem quebrado a corrente que quando ele via os jogos no estádio a equipe ganhava...
Ser Benfiquista , já não é ter na alma a chama imensa...
A chama anda apagada,isto é mãe no espirito prático e sofredor xd
Bjocas