Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

"Resumo"

Importante salientar que todos somos diferentes...

Imaginem chegar a um país onde não entendem a vossa língua e não conhecem os costumes.
Ninguém entende o que vocês querem e precisam.
Na tentativa de se organizarem e entenderem esse ambiente, provavelmente apresentarão alguns comportamentos que parecerão estranhos aos outros.
Manual de tratamento ABA HELP US LEARN

AUTISMO-Deriva do grego "AUTOS", que significa voltar-se para si mesmo. Eugen Bleuler

COGNIÇÃO-Diz respeito às capacidades que nos fazem pensar, perceber as coisas, obter , compreender e responder à informação.
Dizem respeito à capacidade mental de aprender a matéria académica e em termos globais para funcionarem na vida diária.

Autismo é uma perturbação do desenvolvimento, que abrange um largo espectro, que vai desde o ligeiro ao mais severo, com algumas variantes, mas que em todos eles compromete as áreas da sociabilização, da comunicação e emocional em maior ou menor grau.

Comunicação

Casos há que não se exprimem através da linguagem verbal! O que não quer dizer que sejam surdos ou mudos, muito longe disso.
Sentem e sofrem da mesma forma que todos nós (respeitar e não gozar)

Outros são capazes de falar muito, mas especificamente em áreas do seu interesse restrito, (onde mantêm a sua estabilidade e segurança), tornando-se obssesivos, nem todos se debruçam no mesmo tema( podem ser hórarios, climas, comboios,mapas ,planetas, dinossauros, carros etc)

Como podemos ajudar-Partindo do interesse deles, tentar leva-los a temas relacionados( não gostam de ser surpreendidos).

Podem ter necessidade e ajuda e não saber pedi-la, manifestam sinais de intranquilidade, tentar perceber se houve alguma alteração, ( tem resistência ás mudanças, quer sejam (Objectos ou pessoas)

Como podemos ajudar- Perceber, para poder encaminhar, sempre que seja absolutamente necessária alguma alteração, falar antes do acontecimento ( não gostam das surpresas)

Sempre que quiser falar com eles: As perguntas devem ser directas: começe ,pelo sujeito e não pela acção- É mais fácil perceberem ex:José, ajuda-me a arrumar os livros. do que -Ajuda-me a arrumar os livros José, neste caso podem ter dificuldade em perceber que a mensagem era para eles.

Como podemos ajudar-Explicar as regras, passo a passo inclusivé alguma palavra que possa parecer-vos simples como o arrumar ( precisam de tudo programado para se organizarem.

Tem uma memória excelente-Autênticos computadores.

Linguagem Ecolalia-Repetem as palavras ou final das frases em lugar da linguagem normal.

Alguns podem usar termos enciclopédicos.

Não percebem ironias, nem metáforas.

Têm dificuldade na motricidade fina( normalmente a caligrafia é má).

Sociabilização

No recreio podem gostar de estar sózinhos

Como podemos ajudar- Dar-lhes espaço, mas não os ignorar e voltar a tentar a inter-acção.

Gostam de ter amigos, mas não sabem muito bem relacionar-se, não conseguem ter iniciativa.
E em alguns casos são desadequados, na sua inter-acção e aproximação (podendo empurrar, beliscar, soltar gritinhos, querer impôr as regras à sua maneira)
Como podemos ajudar-Não se afastarem deles e tomar a iniciativa, e ainda que possam não responder ou nem sequer olhar.
Não devem desistir, sem forçar se não for num dia será noutro, fazer perguntas directas( ex: (como te chamas) para chegar até eles.

Ficam intranquilos quando gozam com eles, embora não consigam expressar de forma perceptível ( por palavras) esse mau estar refletesse no comportamento.

Como podemos ajudar-Ser compreensivo e não gozar, mesmo que achem muita piada a uma palermice que eles façam, que é sempre intencional.
Não os usar para fazer disparates, porque a vontade de vos agradar pode leva-los a fazer, porque julgam sempre que vocês são amigos.

Gostam de agradar, mas ás vezes tem o efeito contrário porque não tem filtro social, são demasiado sinceros não conseguem mentir ( o que pode leva-los a revelar algo que fosse para mantêr em segredo), ou socialmente desadequado ex: és gorda".

Não têm filtro hierárquico- Todos os seres humanos são iguais independemente do cargo que ocupem ou formação académica que possuam.

Alguns não gostam do contacto físico-Respeitar

O barulho perturba-os-Podem tapar os ouvidos a determinados sons.
Como podemos ajudar-Tentar ambientes tranquilos e tranquiliza-los

Emocional

Parece que não são afectuosos, mas adoram mimos (mima-los com sabedoria)

Podem rir, quando é supostos chorar, mas não é gozar , é porque não percebem esses sentimentos.

Tem baixo controle à frustração, reagem mal quando não conseguem os objectivos.

Como podemos ajudar- De forma positiva motiva-los que vão conseguir.

Auto estima é geralmente baixa

Como podemos ajudar-Estimular e potenciar as suas capacidades.

Não percebem muito bem expressões faciais se estás zangado, triste, alegre...

Como podemos ajudar-Dizer por palavras se estás triste, contente, chateado.

Podem ter enorme resistência à dor, ou ser piegas e precisar de um penso rápido para um arranhão.

Comportamentos/Dificuldades

Podem precisar de ajuda para organizar os materiais
Como podemos ajudar-Orienta-los dando-lhe a lista de tarefas ordenadas.

Não tem jeito para jogar à bola e jogos de grupo (respeitar), mas podem ser excelentes jogadores de estratégia jogos tabuleiro ou computador.

Tem dificuldade em atar os ténis ou utilizar os talheres correctamente ( ensina-los pacientemente), nunca desistir pode levar tempo.

Rotação de objectos

Poses bizarras-( fixar objectos ficando de cócoras, colocar-se pé numa perna só, impedir a passagem por uma porta, deixando passar somente após tocar de determinada maneira)

Esterotopias-Baloiçar-se, estalar dedos sacudir mãos etc

Todos juntos e informados podemos transformar este quadro num Azul brilhante.

Nota- como escrevi na primeira frase, todos são diferentes, e isto também não é um auto-retrato do meu filho, mas que encaixa ou encaixou na grande maioria lá isso é verdade.
Este texto é que levo às escolas numa linguagem simples, não é debitado,acompanha a fábula e todo um contexto de inter-acção com os meninos.
Quem poder e quiser dar ideias para acrescentar estamos receptivos a acrescentar. Obrigado

10 comentários:

Fê-blue bird disse...

Prima.

«A arte de escutar é como uma luz que dissipa a escuridão da ignorância.»
Dalai Lama

Um verdadeiro manual de aprendizagem este seu post.
O desconhecimento leva-nos a cometer muitas injustiças.
Azul brilhante é a mais bela cor.

Um grande beijinho

Teófilo Silva disse...

Estou em acordo com o que disse a Fê no seu comentário. E fui eu à Wikipédia para colher informações, quando tinha aqui neste post tudo o que precisava saber. Muito bom este seu post. Prima da Fê?

http://castperagestosa.blogspot.pt

Silvya R. dos Reis disse...

Como disse, em um comentário passado, palavras como as suas são importantes para mim. Que sou ignorante perante ao assunto.

Apesar de que eu seria egoísta dizer que entendo, pois não posso entender algo que jamais vive. Pois seria como lamentar a perda alheia sendo jamais ter perdido algo.
Mas quero viver, algo além de fazer parte da plateia, quero ajudar, entende? Se isso vai acontecer? Talvez? Na vida tudo tem seu tempo, apesar de não ficar em espera.
E lendo ´´Sinto-me só´´ do Karl T., vejo exatamente isso, e não deixa de ser um tombo por dentro.
Mas posso imaginar, com certa limitação, mas apenas posso imaginar.
Pois assim como para eles, é algo complexo, em diferentes formas.
E penso que todos são diferentes, mas isso nos faz igual ao mesmo tempo?!
Eu penso e vejo que todos somos iguais, independente da etnia, cresça, gosto, ou seja lá o que nos torna únicos em relação ao outro.
Vejo como as pessoas realmente são, 'julgo' pelo caráter, e isso assusta.
Quero dizer, eu já vi por mim mesma, alguém que se faz indiferente, mas nos olhos dela, em pensamentos da graças a Deus por não ser com ela, se limitando em pena e lamentar e lamentar. E se resume na historia ´´ É deficiente, coitadinho invalido´´...
Enfim... Post como esse é importante para mim. Acrescenta-me.

Kkkk Acabei divagando?! Perdão, to ficando mole. Hahahah

Um bom final de semana e um grande abraço.

Mina disse...

Prima Fê

Haja quem nos oiça.
Mas mesmo que teoricamente estejamos preparados na prática as coisas mudam, porque não se podem perfilar todos no mesmo padrão.
Como nenhum de nós tem o mesmo padrão, nem age nem reage da mesma maneira.
Já tenho aqui o passarinho azul, que muito me honra.
Beijinhos e b.f.s

Mina disse...

Teófilo
Agora de repente lembrei-me do Presidente, espero que não leve a mal a comparação.
Obrigado pelas suas gentis palavras , isto não é um trabalho cientifico nem profissional, é uma curto apanhado do leio do que observo e do que compartilho.
Beijinhos e b.f.s

Mina disse...

Silvya
Ás vezes não é assim tão dificil de entender, quando nos colocamos no lugar do outro, todos nós somos potenciais pessoas a poder ter qualquer tipo de "deficiencia", logicamente que não conseguimos colocar no lugar de todos e á doenças tão raras que dificilmente conseguiriamos sequer supôr aquele sentir ou viver com determinada doença rara.
No caso das pertubações do espetro do autismo, temos marcadamente acentuadas a parte da comunicação e sociabilização dentro de uma aparência comum.
A tua palavra indiferente, levou-me também a mim divagar, muitas vezes por falta dessas taias carateristicas estes individuos são considerados como pessoas indiferentes ( que não ligam ao próximo) , o que não é verdade.
Tenho que procurar esse livro que estás a ler , tem um titulo sugestivo.
Beijinhos

Nina disse...

São curiosas as diferenças entre 2 Aspies, mas mais curioso é perceber que durante toda uma vida convivemos com eles de perto...sem nome nem rótulo.
Às vezes penso que o rótulo só ajuda enquanto são crianças. Depois é o caos. Não tens essa opinião?

bji

Mina disse...

Nina
Há um leque enorme de diferenças entre eles e já conheço alguns casos mais de perto, nenhum tão bem como o do meu:)

O "rótulo", só deveria servir para que se possa fazer a intervenção adequada.
No entanto é mais quando são mais velhos que se nota a verdadeira diferença, e em que é necessário explicar porque age ou reage de determinada maneira, não é igual um comportamento bizarro numa criança ou num adulto!
Beijocas

Mário Relvas disse...

Gostei Mina!
Bjs

Mina disse...

Mário
Obrigado!
Beijos