Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

"Pensamentos"

Mostrar ao mundo que o mundo também lhes pertence.
Sempre soubemos que o nosso filho tinha uma perturbação do espectro autismo, fosse lá que raio isso fosse.
E sempre nos foi negado por quem supostamente saberia muito mais do que nós.
Embora sempre tenha estado sinalizado e com acompanhamento psicoterapeutico semanal.
Muito importante e a retêr, precisam de um mundo organizado, não podem estar em stand bye os níveis de ansiedade aumentam e obrigam-nos a ser repetitivos, até ter um chão seguro.

Recadinho, para as pessoas que dizem conhecer estas pessoas e parece que as querem testar ao deixa-las em modo suspensão!
Será que alguém gosta de ficar na dúvida!? Se acontece ou não determinada situação!?

17 comentários:

quem és, que fazes aqui? disse...


A ansiedade deixa qualquer um sem chão, não é?

Bom restinho de semana.Beijo

Laura

Fê-blue bird disse...

Prima:
Vejo neste teu desabafo um recado muito importante a quem pensa saber tudo.
Só quem passa pelas experiências as compreende verdadeiramente.

Tenho um prémio para ti no meu blogue.

beijinhos

AvoGI disse...

Mas, ó mINa , o mundo tb lhes pertence ou há duvida? poça caramba não entendo isto.
kis .=(

Mina disse...

Laura

Sem dúvida que a incerteza nos provoca ansiedade, mas conseguimos algum auto-controle, para eles é muito mais complicado, surpresas e coisas de última hora não.
Prometer e não fazer também não;)

Beijinhos e boa semana também para si

Mina disse...

Prima Fê

Este recado é para alguém que nos dirigiu um convite que fez com que anda se ansioso uma semana inteira que teve que reduzir a peça a metade em texto e coordenação musical, porque não seria possível faze-lo em curto espaço de tempo. Referi o facto de que tudo tem de ser planeado e programado antecipadamente.
Ah! eu sei !Também sou psicóloga , foi a resposta.
Para o ter preparado fizemos logo aquela preparação, que ele não gosta de falhar, nem nós.
Na semana seguinte como não me disse mais nada liguei-lhe eu, até porque os níveis de ansiedade já estavam demasiado elevados precisava de uma resposta para o tranquilizar ou sim ou sopas, "nim" é que não.
Quando é assim não digam que sabem, não basta ser psicólogo para perceber este largo espectro.

Ah! Entretanto já passaram 4 meses e nada, também não pedimos nada, agora por favor, esqueçam que sabem.
Não mais falei com ele sobre o assunto ou estaria todo este tempo em ebulição.
E aqui fica o recado, para os que sabem mas não sabem é legitmo:)
Beijinhos

Mina disse...

Avogi

Às vezes não lhes pertence, são tão transparentes, que nem os vêem ou então vêem em partes coitadinhos, eu sei que as pessoas não fazem por mal,mas por ignorância.
Ainda ontem nas finanças, uma senhora já com alguma idade a perguntar-me se ele se portava bem, só porque notou que ele era diferente.
Beijinhos

Mário Relvas disse...

Mina, se não fosse o autismo do meu filho eu continuaria o meu caminho, quiçá incógnito e muito caladinho na Internet sobre alguns assuntos que outros consideram incómodos. Mas, cá estou a dar a cara desde 2005 nos OCS e no blogue.
Queria eu dizer que o mundo lhes pertence e é por isso que eu lutei e continuo a lutar. O mundo pertence-lhes e a nós seus pais que abdicamos de muito da vida para lhes darmos o carinho que merecem.

E para que o mundo lhes pertença, cada vez mais, é necessário que lhes demos vós. E aqui estamos.

Abraço a ambos :)

Mina disse...

Mário

Não haveria necessidade de nenhum tipo de exposição se a sociedade estivesse informada, mas mesmo assim tenho mais medo dos que se acham conhecedores.
Sendo este um espetro tão alargado não pode haver generalizações.
No entanto em todos eles e em nós próprios necessitamos de um patamar de segurança, saber-mos com que podemos contar.
Não queremos ser conhecidos nem coisa nenhuma, as únicas instâncias que contatei foram autarquias e escolas, onde modestamente podesse com dignidade levar o meu filho e mostrar que ele existe e tem potencialidades. O mundo também lhe pertence e não é fecha-lo em casa que o mundo saberia que ele existe.
Não me deram alternativas, tive que as reinventar.
Faremos como a saudosa Amália , não cantaremos , mas seremos a voz deles até que a voz nos doa:)

beijinhos para vocês 3

Mário Relvas disse...

Nem mais!

Beijos para vós Mina :)

São disse...

A incerteza angustia sempre, quem quer que seja.

Nas pessoas com características específicas , ainda mais.

Toda a gente deveria compreender isso,Lamentável que assim não seja.

Um abraço grande para vós.

Mina disse...

Mário

Quem nos dera, um mundo perfeito, para podermos descansar...

Beijinhos

Mina disse...

São

Essa incerteza e essa angustia com futuro destes jovens, pode querer que são muito dificieis e falo por mim,(e julgo de outros pais principalmente de adultos) que é um objectivo que não me saie da cabeça o day after, se connosco a a protege-los a dar-lhes voz , o que será depois!?

E eu sei conheço a teoria de um dia de cada vez, só que já passaram dias e dias e meses e anos e decadas e nada mudou, ou secalhar até piorou que de estranhos passaram a deficientes, e se antes havia familias que tomavam conta, hoje é na instuticionalização...

Beijinhos

AvoGI disse...

Mina
diferente é a senhora que pensou que ele era diferente, só isso!
kis .=)

Nina disse...

Julgava ter comentado este post.
Adiante.

O mundo em que vivemos ainda não está preparado para meninos especiais (em todos os aspetos). É uma pena que assim seja. Beneficiaríamos todos com a aceitação e demais cuidados obrigatórios quando se lida com um Aspie.

beijinhos, querida

Mina disse...

:) Querida Nina
Secalhar passou te ás vezes não carregamos no publicar, os comentários são todos publicados rsss

Quanto à preparação bem sei que é dificíl, principalmente nesta síndrome que tem muitas variantes e não tem um registo único ou caracterista visível à primeira vista é um enigma até para quem conhece alguns casos.
Beijinhos

Hugo Rios disse...

É verdade, e muitas vezes parece que sinto prazer por parte de algumas pessoas de não me quererem dar alguma certeza e segurança...

Hugo Rios disse...

É verdade, e muitas vezes parece que sinto prazer por parte de algumas pessoas de não me quererem dar alguma certeza e segurança... é muito complicado...
gostei de ver o seu blog. Sou um aspie adulto de 35 anos