Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

sábado, 6 de março de 2010

Preconceito, nem tudo o que parece é!...


O Bruno, algumas vezes quando anda na rua quer seja com o pai ou com mãe.
Gosta de se sentir protegido, e apoiado, e independentemente de ser um ou outro progenitor, coloca o braço por cima dos nossos ombros, ou enfia o braço no nosso.
Sentindo-se assim mais seguro, (julgo eu).
O pai sente se observado, pelas pessoas circundantes, pelos olhares de soslaio.
Que pensarão?!... Que anda a "transar" com um jovem?!... Credo que mentes...
Com a mãe, fazem o mesmo.Olham , comentam em surdina...
O p´ro meu ar de preocupada," tou nem aí"...
Que pensarão?!... Uma "cota", com um "chavalo"?!...Santa ignorância...
A mim não me afecta, rigorosamente nada, podem olhar á vontade , não vou deixar nunca de o proteger de o mimar, do abraçar...
Eu até gostaria que ele fosse mais independente, e há algumas situações em que o é.
Se andar sozinho ( o que agora é raro) não tem em quem se apoiar, bem a congeminar nos seus pensamentos...

8 comentários:

Silvana Nunes .'. disse...

Bom dia;
Preconceito é uma droga mesmo. Todos nós sofremos um. Eu, então... sou vítima. Nem ligo.
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... deseja um bom final de semana para você.
Saudações Florestais !

Mrs_Noris disse...

Mina,
Para quê perder tempo a pensar no que os outros possam pensar sobre nós. Pode até dar-se o caso de as pessoas nem pensarem como nós pensamos que elas pensam e aí somos nós a fazer os juízos de valor.
Desde que nos sintamos bem connosco, o resto são cantigas.
E se têm esse pensamento "Uma cota com um chavalo" é porque são invejosas! loooolllll
Kisses.

AVOGI disse...

deixai-os pensar e ficarem a babar..de inveja. Se calhar por causa do preconceito não aceitam o braço do filho ou da filha. E sabe tõ bem andar com o braço do nosso filho aos ombros! Como eu gosto!

Mina disse...

Silvana
Obrigada por ter vindo...
As pessoas, deviam se preocupar por exemplo mais com o ambiente e com o ser humano em geral, do que julgar os outros só pelas aparências...
Inicialmente não percebi o FOI DESSE JEITO QUE OUVI DIZER, mas já lá passei, ainda sem tempo para me inteirar, mas do que li agradou-me as preocupações ambientais, lá voltarei...
Bom fim de semana com óptimo ambiente
bjocas

Mina disse...

Noris
Claro, que não perco tempo e nem dou valor a esses olhares ou comentários...
O pai preocupasse mais, com o que os outros possam pensar(lado macho)rsss
A mim uma vez quando o Bruno era mais novo, era difícil mante-lo dentro dos restaurantes enquanto não servissem a refeição, e ainda hoje ele no tempo de espera dá nas vistas enquanto gesticula, e mesmo agora ainda o faço com alguma frequência depois de escolher-mos a ementa vimos para o exterior até ser mos servidos, para não estar-mos a ser observados... Numa ocasião um fulano bebado mandou essa "boca" do "chavalo" kkk, aí também tive preconceito em relação a bebedeira dele rsss
bjocas

Mina disse...

Avogi
Qualquer dia é pecado, mimar ou abraçar um filho, (ainda pode ser assédio).
Por isso é que cada vez á mais rebeldia na juventude, por falta de afecto e regras...

No caso do Bruno, além do afecto é e será sempre uma questão de protecção e segurança...
bjocas

Estrumpfina disse...

Essa é que não esperava! Ter de explicar aos estranhos que na realidade é o meu filho que me está a abraçar.

Era boa era...

bjs

Mina disse...

Estrumpfina
Eu, não perco tempo a dar explicações a ninguém desse genero rsss
Se alguém estiver interessado explico que tem uma síndrome com as seguintes características, e enúmero algumas, esse aspecto tenho muito gosto em esclarecer, porque quanto mais pessoas souberem melhor serão integrados e entendidos...
O resto, passa-me quase ao lado, claro que não fico indiferente, mas o mais que posso fazer é uma cara de desagrado...
bjocas