Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

quarta-feira, 20 de maio de 2009

A Lenda das Caldas




A cidade também conhecida como "Termas da Rainha" nasceu e cresceu em torno do primeiro. Hospital termal mandado edificar pela Rainha D.Leonor em 1485. Conta a lenda que no decorrer de uma viagem entre Óbidos e a Batalha, a rainha e a sua Corte, passaram por um local onde várias pessoas tomavam banho em águas quentes, com intenso cheiro.
Curiosa, perguntou a razão de tanta gente, pois naqueles tempos não era comum as pessoas tomarem banho, muito menos em águas com cheiro desagradável.
Responderem-lhe que eram doentes e que aquelas águas tinham poderes curativos.
A rainha que padecia de uma úlcera, banhou-se nas águas sulfúreas, curando-se.
No ano seguinte mandou construir naquele lugar um Hospital Termal (Hospital Real das Caldas), que ela própria dirigiu.
Desde o século XVI, foram realizados estudos das águas, tendo-se concluído serem indicadas para o tratamento de várias doenças (reumatismo, doenças respiratórias e musculares).
A grande notoriedade das Caldas deu-se no século XVIII, com D.João V, que reconstrui e ampliou o Hospital, e aqui veio com a família , até ao fim da sua vida, beneficiar das águas termais.


Fica também aqui representada a Lenda das Caldas, por alguns dos formandos do CAO. E mais uma vez reforço que é um trabalho de coordenação difícil, até para a "câmara Woman"o vídeo foi retirado para protecção dos intervenientes

5 comentários:

Mrs_Noris disse...

Mina,
O que é que o seu Bruno faz no CAO?
Ele devia estar era num grupo de teatro com essa exressividade fantástica que ele tem! Enfim...
Beijokas.

Mina disse...

Noris
Além desta actividade, faz outras como as Tic, o remo, a horticultura,cestaria, olaria, e estudos das viagens e dos percursos que ele também gosta, faz ainda desenhos e composições.
Muitas actividades variadas, que não dá para especificar só numa, uma vez que são só actividades ocupacionais.
Pese embora e eu tenha de repetir isto muitas vezes eu sinta que o Bruno, pudia fazer outras coisas mais produtivas, nem que fosse em part-time, e depois escolhesse uma actividade de lazer, que pudia passar pela representação, que eu confesso até gosto de o ver e considero que eu evoluiu bastante, até na interacção, e nem se tem desconcentrado com as risadas ou as palmas.
Neste meu desejo ás vezes posso parecer presunçosa, mas eu não posso deixar de acreditar.
E não tem nada a ver com trabalho de louvar que estas técnicas, fazem.
São verdadeiros milagres,a que eu assisto, mas tem ver com os objectivos traçados para o Bruno, que até posso estar errada, mas ninguém me consegue fazer deixar de querer, sem tão pouco experimentar.
bjocas

prof. Anabela disse...

Interessante!
Já conhecia estes acontecimentos que justificação a fundação da cidade... mas ainda desconheço porque é que o feriado municipal é a 15 de Maio (ai, soube tão bem!....).
Que momento interessante partilhou! É bom voltar a confirmar que, com um cuidado especial, é possível construir momentos ultra-especiais!

Vou seguir o seu blog. Siga também o nosso!
E obrigada pelo comentário :)

prof. Anabela disse...

Errata:

onde se lê "justificação" deve ler-se "justificam"

Mina disse...

Prof Anabela
Terei todo o gosto em seguir-vos, os bons exemplos devem ser estimulados e continuados.
E alguns dos professores marcaram a diferença no percurso que o Bruno fez.
Daí eu dar tanta importância ao vosso trabalho, que será a continuiedade familiar, e julgo até que tanto para as crianças como para os pais os professores são um apoio, ou um desalento, conforme aceitam os nossos filhos, e eu vive os exemplos dos das duas formas.

Estes "meninos" especiais aqui no caso até já são todos adultos, dão-nos muito sem pedir nada em troca, aqui é que está a verdadeira diferença.
E o "menino" que faz de bôbô e a narração, é que é o portador de sindrome de Asperger que têem vindo a fazer este e outros espetacúlos pelas escolas da região, penso que as próximas gerações iram beneficiar desta aproximação.
Se quiserem eles vão aí? :)))
Se for na escolinha que eu estou a pensar, nem precisam de ir de carrinha...

Quanto ao feriado, também não sei a origem, e mesmo estas lendas e história da cidade estou a aprende-la agora, e acho interesante. Porque as nossas origens não são daqui, mas é uma terra que adoptamos com muito gosto, e que para quem viveu nos grandes centros, aqui ainda se respira alguma qualidade de vida...

Oh, Srª. professora, não leve a mal, mas por aqui o português anda muito baralhado. Mas não falta boa disposição, por isso prepare-se para umas risadas.
Volte sempre
Bjocas