Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

O direito à indignação

Em dia, de Indignação, deixo aqui, esta a bordagem que fiz em 2008, e, estava num outro blog, que partilhava com uma amiga , no  "Águas Furtadas", e hoje fui ao sotão, rebusca-lo!

Sou uma pessoa positiva, como devem estar a par através dos meus discursos, eu sou mais "peace and love". Mas há coisas que me revoltam as "entranhas". Fala-se em integração " pata aqui, pata ali" (lol), investem-se anos na formação, disponibilizamos todo o tempo do mundo e empenhamo-nos para um futuro positivo e profícuo. Mas quando chega a altura de pôr em prática esses conhecimentos adquiridos, não há saída, porque são precisos meios para adaptar estes cidadãos ao mercado de trabalho. No caso dos Aspergers, julgo que precisam de estabilidade, segurança e alguma orientação. De nada serviu o esforço que foi ter frequentado o ensino até ao 12.º ano e ter feito um curso de 4 anos no teletrabalho, área da informática (com muitas aptidões). Tudo isto resulta em quê? Ir para onde nunca quis que ele fosse: o CAO. Acho que as coisas funcionaram um bocadinho ao contrário, se calhar esse poderia ter sido o principío, que sempre quis evitar e consegui.
Sou melga, sou carraça, o que me quiserem chamar, mas deixem-me indignar.
Não! Não, pensem que desisti de um futuro melhor, isso jamais...Não foi este o futuro que escolhi, integrar para depois desintegrar!
14-10.2008
Mina
Nota: Devo frisar que esta minha indignação não tem a ver com o funcionamento do CAO, nem com aqueles que lá trabalham e se empenham ao máximo, será inclusivamente dos melhores CAO’s do país. Este meu estado de revolta tem somente a ver com este processo de retrocesso.




5 comentários:

Mina disse...


Parece, que foi escrito, hoje, mas já passaram 5 anos, o tempo passa rápido.

A inclusão, continua a ser uma quimera, e aquilo, que já se havia conseguido, querem agora destruir :(

AvoGI disse...

como passa o tempo que nem damos conta
voltei e nao podia nao vir aqui visitar a minha maiga
kis .=)

Mina disse...

Avogi

Bem-vinda

Já tínhamos saudades suas.
Embora, também tenhamos reduzido, aqui a escrita.
Este post, já tem cinco anos, estava guardado, nas águas furtadas, e voltou à actualidade.
beijinhos

Fê blue bird disse...

Passa o tempo e tudo se mantêm infelizmente.
Mas a indignação e a coragem mantém-se.

beijinho

Mina disse...

OH! prima Fê

Vamos de mal, a pior.
E ainda nos querem fazer querer, que têm razão, e está tudo bem :(

Fui, hoje a um seminário, que atá parecia estar noutro planeta, e as leis eram fantásticas de igualdade, não segregação, e na prática, o que vimos???
beijinhos