Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

domingo, 15 de maio de 2011

O que posso fazer para não o provocar?

A partir de agora eu vou ignorar o rapaz, porque provocá-lo posso assumir as consequências de ele me agredir e fracturar uma perna e nunca mais conseguir andar, ou fracturar um braço e não conseguir comer.
Eu peço desculpa pelo erro que cometi e a partir de agora vou simplesmente ignorá-lo para não estar sujeito a sofrer as consequências.
O que posso fazer para não provocar?
Não falar, não fazer gestos, não olhar.
Eu vou cumprir a minha promessa e nunca mais o vou provocar tal como fiz quando foi as "botadas".
-Tu afinal só és a minha protecção se eu não o provocar e ele dirigir-se a mim e apertar-me o pescoço.
O rapaz pode reagir por isso eu nunca mais lhe vou passar cartão e vou pensar como se ele não existisse.
Eu agora tenho medo que o que eu faça seja uma provocação.
Olhar para ele é provocação!? Eu tenho medo de me encontrar com ele nas ruas e que ele se aproxime de mim e isso seja provocação.
Bruno V 13/05/2011

4 comentários:

Fê-blue bird disse...

Prima:
Há ainda muitas dúvidas, muita tensão nas palavras do Bruno.
Deve ser muito difícil para ele saber como agir perante algo que não compreende e não sabe controlar.
Mas escrever sobre isso deve ajudar muito a aliviar essa tensão.

beijinhos

AVOGI disse...

BRUNO atenta no que digo qualquer movimento pode ser interpretado como provocação pois a maldade está na cabeça dele e não na tua, mas olha, evita o contacto visual e afasta-te , mas será que chega?
kis :=)

Mina disse...

Prima Fê
Acho que no fundo queria fazer um teste para o outro o ver, mas quando o chamei à atenção ficou a tremer e percebeu que poderia haver uma reacção e queria logo sair do local, está dificil lidar com a situação,que nele as coisas funcionam muito em termos contabilisticos, haverá um número de vezes que ele terá de se cruzar com o outro sem lhe fazer mal, para ele se sentir seguro...
bjinhos

Mina disse...

Avogi
Este " menino" Tem medo mas esquecesse da vergonha, antes fosse assim tão linear, mas não é. Que a dificuldade dele em perceber o que é uma provocação leva-o a situações embaraçosas e complicadas. Até porque a provocação também ela não é linear o que para uns não provoca reacção, para outros pode provocar e partir para a agressão. Como tal cabe nos a nós "estudar", os outros e perceber os efeitos que causa-mos em cada um. Somos mesmo complicados eheheh