Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Recomeço!...


Começou o dia, com a ansiedade ao rubro!...
Primeira abordagem à assistente o quê?!Que vai mudar?!... Calma Bruno!...( diz ela)
Não cumprimentas os teus colegas?!...Vá de esticar uma mão fugidia pelos colegas sem os olhar para se despachar...
Afinal o que que vai alterar quem são os monitores, as actividades, os horários?!...
Já vamos conversar, tens de te habituar às mudanças, que fazem parte da vida( refere ela).
Há hora de almoço, ainda pairavam muitas dúvidas ainda não estava o horário definido, mas já havia algo do seu desagrado passar a haver apenas um grupo...
O que não permite margem de opção ou escolha!...
Fica para de tarde a amostragem das actividades e os respectivos dias a que vão funcionar!...
Foi o pai que o foi buscar, estava desejoso de chegar a casa para me informar!...
A primeira coisa a fazer é procurar a mãe para lhe comunicar (qual lanchar).
E explica-me amanhã à tarde não vou e na quinta todo dia, como está só em "part time" pelo menos ainda lhe dá hipótese escolher, os tempos que quer fazer...
E querem saber porquê: São actividades que lhe causam medo que ele não consegue arriscar, desportos radicais e costura que é quase a mesma coisa :D
Sugiro-lhe que poderia dar mais uma oportunidade aos desportos radicais,porque tem a parte da espeleologia de que ele gosta, mas passa o resto da tarde e noite a insistir que não quer ir, porque se arranhou, numa altura a escalar!...
Contraponho, que por acontecer uma vez poderá não acontecer mais e que seria uma forma de vencer os medos (olha quem fala) ihihihi, e até comparo com a aprendizagem dos bebés quando começam a caminhar, que caem e levantam-se se ganhassem medo, nunca começariam andar...Mas não vale a pena eu tentar justificar, estes medos vieram para ficar.
Alguém disse!... que é facíl recomeçar?!...

8 comentários:

Mãe Sisa disse...

Não, não é nada fácil recomeçar...
Mas tudo irá correr bem (adivinho que ele conseguirá levar a dele a melhor, não?!?)

Beijinhos

Mina disse...

Mãe Sisa

A partir do momento que esteja tudo estruturado, já lhe passa a ansiedade...
Estas pessoas precisam de uma grande estabilidade e sentir muita segurança, como qualquer um de nós, só que no caso deles são essenciais esses factores o ter sempre a certeza daquilo com que podem contar, tudo tem de ser programado e não fugir.
Mesmo a aventura tem ser programada nada de incertezas...
Mas vamos aprendendo a lidar com este tipo de personalidade ao longo da vida e até pactuando com estes factos...
Faremos mal?!... Mas queremos que sinta em porto seguro, daí ele quer vir logo dizer à mãe, embora ás vezes a mãe lhe dê a volta :D
Mas mais alguém lhe andou a dar a volta, que ontem disse-me que não queria ir hoje á tarde, e convenceram-no que era no ginásio e não os radicais e ele lá foi...
Mas acabou por ir para a mata e andou amarrado às cordas que ele diz que lhe apertaram,
expliquei-lhe que é uma questão de segurança, as cordas tem de apertar para o suportar, tem de ir devagarinho e não haver nenhum incidente...
Bjocas

Atena disse...

Com o tempo e a estabilização das rotinas, tenho a certeza que a ansiedade acalma. A estrutura e a manutenção das rotinas dão-lhes estabilidade, sem duvida... Já o vejo bem no meu Vasco. No fundo quem de nós não se sente avesso às mudanças? Quando mudamos de casa, de emprego, etç... Sentimos sempre uma certa ansiedade, ou não? Neles a dimensão é "apenas" muito maior... e para nós mães, que o que mais queremos é o seu bem estar, vê-los ansiosos e inacapzes de se "controlares" sozinhos, aflige-nos...
Beijokas grandes Mina

Mina disse...

Cristina
A dimensão é mesmo muito maior, e a estabilidade só quando estiver tudo completamente defenido, penso que só na próxima semana!...
Embora ele já tenha elaborado um horário mediante os elementos que lhe foram fornecidos...
E ainda hoje insistia, para que concordasse com aquele plano.
Quando lhe disse que ainda não pode ser defenitivo ele avançou com uma margem de 80% de probabilidades de ser aquele rsss
Que nestas coisas a matemática também entra :D
Ainda tenho que conjugar com os horários da irmã na próxima semana...
O Vasco também está quase,quase é sempre preciso mais um pouquito de acompanhamento nestes primeiros dias e umas poçõezitas de paciência...
bjocas

AVOGI disse...

Aos poucos a confiança vem e com ela a determinação e a certeza de querer experimentar, mas só na base da confiança entre o jogo/as actividades e ele próprio. eu penso que só ao fim de ver os outros a ceder é que tb cede, não é?

Mina disse...

Avogi
Nos desportos radicais ele não participa, o medo é mais forte, nem vendo os outros, quando ganha medo se obrigasse transformavasse em pânico.
Algo a que ele receie, dificilmente volta, não gosta de repetir más exeriências...
Em relação às restantes actividades, quando tiver tudo coordenado fica estável...
bjocas

Fê-blue bird disse...

Afinal quem não tem medo do recomeço, só que no Bruno esse medo não é disfarçado.
Desejo-lhe tudo de bom neste novo recomeço.

Beijinhos

Mina disse...


É isso mesmo neles não existe um botão regulador e a ansiedade é manifestada até estar tudo sobre controle...
Têm de ter as "agulhas acertadas", o que ainda não está a ver se é hoje que tudo se conjuga em termos de fixar um horário e ele ter as certezas de que tanto precisa...
bjocas