Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Dores que nunca passam!...


Todos os dias o questiono sobre como correu o dia?!...
Já faz parte do nosso dia-a-dia, esta minha "formula inquiridora"!...
Ontem foi escrever, sobre um facto marcante, na vida dele!...
- O quê, que escrevestes ?|...
-Sobre aquelas "botadas"...(diz, ele)
Sei que me perdou.
Mas a dor voltou...

4 comentários:

Fê-blue bird disse...

"Lamentar uma dor passada, no presente, é criar outra dor e sofrer novamente.
William Shakespeare "

Bem certa esta frase, mas o coração de mãe fala sempre mais alto.

Beijinhos minha prima ;-)

Mina disse...


Que frase mais acertada, esta frase que não conhecia!...
Até vou rouba-la daqui e pô-la no facebook.
O dar umas botadas num jovem destes não é mesmo que dar uns bons açoites numa criança criança dita "normal" que muitas hoje em dia tem falta deles...
Já nestes "meninos", para eles é até dificíl perceberm porque estão a levar pancada...
Esta ocorrência já foi há 10 anos e revivia de novo.
Não estou arrependida porque naquela altura tinha mesmo de ser, mas doeu-me muito, não lamentei mas chorei...
Bjocas prima ;-)

Atena disse...

As "botadas" nos nossos filhos têm tamanha força que nos atingem a nós - e de que maneira! Sou contra as Bofetadas, mas também eu acho que assim uma palmadita no momento certo a determinadas crianças, faz milagres. O pior é ficar na duvida se a estes nossos meninos, tem o mesmo efeito, e ir percebendo que não tem! Para terminar e pôr-nos completamente de rastos, vêm as frases marcantes que eles espontaneamente dizem, sem perceber que nos espetam uma faca muito fininha que deixa marca: O Bruno recorda como mau uma dessas "botadas" há 10 anos atrás... e o meu Vasco diz, em lágrimas virado para mim: "leijaste"... (Nem gosto de lembrar)
Beijinho (Fiqueí triste)

Mina disse...

Atena
Já faz parte do passado, o passado não se fecha numa parteleira e acabou, as alegrias e as tristezas as angústias as dúvidas fazem parte de nós...
E foi um facto marcante para ambos, porque felizmente foi único, não se repetiu, ele entendeu porque depois destas ocorrências acabamos por dar muito tempo à conversa e foram horas a explicar-lhe, o porque de eu ter tomado aquela atitude...
Ele ficou com a dor fisica e pelos vistos não só, para ser o facto que mais o marcou por ser realmente diferente...
Mas foi a forma de travar uma situação que poderia ser grave e leva-lo á expulsão da escola...
Porque a escola queria ver-se livre dele e por uma situação simples empolgou-a de tal forma que até parecia que tinham ali um jovem perigoso, coisa que ele nunca foi nem agressivo...
Mas como era o 1º. ano que a frequentava estariam assustados, felizmente que hoje em dia à mais informação...
No post seguinte contarei o que originou as botadas...
Bjinhos para ti e p'ro Vasco
Não fiques triste, passemos à frente que hà muitos mais momentos felizes, mas porque será que á memória só vem os piores.
Tenho que ver o lado positivo 1º. resultou os factos não se voltarm a repetir, depois foi apenas um facto, não teve dificuldade em referi-lo tenho de considera-lo como uma lição de vida...
Embora não apague a dor que senti, lá estão as tais incongruências, temos de aprender a lidar com elas
Dá bjinho no "leijaste " do Vasco.vais ver que passa:-)...