Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

sábado, 27 de junho de 2009

"Que Futuro?"



Fomos assistir a uma tertúlia, cujo tema foi a "Ciência Aberta", que abordou o desenvolvimento sustentável, as alterações climáticas e consequentes efeitos no planeta...
Foram analisadas as energias não renováveis (petróleo , gás natural, urânio ...) que ocupam uma enorme "fatia" no nosso consumo , e referidos os efeitos na atmosfera, a poluição...
As energias renováveis,(solar, eólica,hídrica...) que ocupam um curta parcela de produção, nas quais os países devem investir grandemente .
Foram mais de duas horas de explicação e debate, numa amostragem de gráficos, tabelas, fotos, e as próprias definições eram também numéricas (em parte).
No final compramos o livro, este é um tema de grande interesse para o Bruno. Contrariamente ao que nós pensávamos este livro não tem nenhuma imagem, foto ou gráfico, tem apenas a foto da capa e no seu interior a do autor.
Ohohohoh!... Pois claro o Bruno ficou desanimado, ao olhar para as mais de 500 páginas só de leitura, que ele pôs logo de lado, pois cansa qualquer um:)))
Não deixa de ser um livro muito actual, que irei ler e aprender, será eventualmente muito técnico-científico, de difícil leitura para o meu Asperger, que mesmo na área climática os números, gráficos e tabelas é que o satisfazem as palavras só para fazer ligação (de preferência poucas).
Vivemos cada vez mais num desenvolvimento insustentável, onde aumentam as diferenças entre países desenvolvidos e países em vias de desenvolvimento, alías esse fosso já é abismal.(foi também tema de debate)
Temos de parar para pensar e essencialmente agir e moderar o nosso consumismo.
E educar os nossos filhos nesse sentido, não podemos continuar a pensar se outro polui contamina, porque hei-de preocupar-me... Não se pode mesmo continuar a comprometer o planeta, que tem sido devastado nas últimas décadas...
Não é uma tarefa fácil, alterar hábitos, mas é urgentíssimo...
Foi um debate muito interessante , mas onde algumas questões não foram levantadas, principalmente no que se refere a proliferação desmesurada das novas tecnologias de comunicação e informação e o uso dos descartáveis...
É mesmo um "pau de dois bicos", esta qualidade de vida!...
Vamos ter avanços na medicina!.... Mas também muitos casos de cancro e doenças respiratórias...
É um tema apaixonante, mas muito preocupante.

Noutros eventos aqui

4 comentários:

BrunoV. disse...

Eu não gostei lá muito do livro, pensei que o livro ainda tivesse algumas imagens, gráficos ou tabelas mas não.
Mas gostei da conversa do senhor, e da apresentação de imagens que ele mostrou.
Das questões que as pessoas colocaram no final da palestra já não gostei tanto.
Mas gosto destas saídas nocturnas.

Mina disse...

Tá bem de ver, que foi um comentário, puxado a "saca rolhas", aqui pela mãe :)))
Que ele anda muito preguiçoso, tenho de o espevitar loool
Senão fica só retido na "toca".

Mrs_Noris disse...

Temos mesmo de começar a cuidar do nosso Planeta com maior dedicação.
Ainda bem que o Bruno gostou do programa, é sempre enriquecedor ouvir alguém que percebe do assunto.

PS: Gostei do som. ;)

Mina disse...

Noris
Foi de facto muito interessante a palestra,e o senhor como o Bruno diz, era mesmo entendido na matéria, faz palestras a nível mundial, fez mesmo parte do protocolo de Quioto.
o livro também é muito interessante, ainda só li o indice e mais umas 40pag+epilogo.
È um livro muito completo que aborda desde os primórdios da humanidade e a sua evolução.
È mais de estudo, do que de leitura. Nâo faz mesmo o genero do Bruno, falta muita numeração embora relate muitos factos.
Lool o som fui eu que escolhi rsss, quero continuar a ouvir estes sons da natureza, corremos o risco de desaparecem, tal como rios e lagos por esse planeta.
Eu contribuo de alguma forma, para um mundo sustentável,mas tenho de passar esses valores aos filhos, o que é mais diícil, neste mundo, onde se querer ter tudo igual ao outro, e ás vezes até mais.
Bjocas