Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

sexta-feira, 12 de abril de 2013

"Uma aventura na Rádio"

Na semana em que andamos a fazer uma maior pressão para a conscencialização  do autismo e o apelo para o caminho Azul.
Fomos, a dois programas de rádio locais.
Ao da manhã ,o Bruno não foi, que não estava preparado.
Ao da tarde, não estava com muita vontade de ir, porque estava a chover, e a chuva é uma condicionante.
Lá o convenci, que a mãe não gosta de andar sozinha, (a fazer-me companhia) :)
No caminho lembrei-me, para que ele não ficasse à seca fora do estúdio, à espera da mãe.
Para ele ir fazer o apelo para o Caminho Azul, levávamos o folheto que preparei com as indicações, do dia, local, hora e as condições para participar uma camisola ou roupa azul.
Talvez a voz dele, sensibiliza se mais o auditório ( mas não), apesar de ter repetido o apelo.
Nem sequer sabiamos, que programa era de uma hora, não levei nada preparado.
Achamos sempre pouco tempo, neste caso foi mais que suficiente, deu tempo para o Bruno fazer um pré-ensaio do texto do Zé Povinho, que iria apresentar no dia seguinte aos microfones da rádio, debitou um texto de uns 10 minutos, reduzindo o tempo, com a rapidez com que o dizia, sob o olhar atónito da jornalista, que ele não se calava , porque tinha que dizer todo :)
Falei do nosso programa de voluntariado de inclusão/educação para desmistificar os PEA, e da dificuldade em fazê-lo na nossa cidade, só fazendo em locais particulares, enquanto nos deslocamos , à já dois anos para o município da Azambuja, fazendo parte das boas práticas, e por outros locais no país, onde somos convidados.
Logicamente, nem será preciso dizê-lo está subentendido, porque, não o fazemos em mais escolas desta cidade apesar da insistência e do conhecimento do responsável por esta área, que tem um nome.
Nome esse que o Bruno sabe, evidentemente, e o disse com todas as letras a culpa é do ............ ( eu não vou dizer, o nome, mas toda a gente sabe. 
O meu filho tem uma perturbação do espectro do autismo, não é burro, nem surdo, e sente como toda a gente,  e, é sobretudo verdadeiro, e isso é incómodo.
Obrigado filho pela tua honestidade, estes politicos teriam muito a aprender contigo.

4 comentários:

São disse...

Mas só tem mesmo que dizer o nome!

E, perdoe-me, a Mina também poderia dizer: imagine que a criatura se candidata a um cargo nacional !

Um abraço para vós.

Fê Blue bird disse...

Prima, honestidade é mesmo uma grande virtude, mas neste país é incómodo e raro muito raro.
Adoraria ter ouvido esse programa.

beijinho e bom fim de semana


Mina disse...

São

Dar-lhe nome é dar importância a que ele não têm,e nunca terá capacidade para um cargo nacional ;) mesmo p'ro local não foi pacifíco e espero muito que não seja eleito, com meu voto e do Bruno , não será de certeza.

E nunca quis e nem quero saber de politica, mas este senhor ultrapassou o limite e nem a minha consideração merece, que por não ter um curso superior, não sou menos do que ele.
Beijinhos

Mina disse...

Prima Fê

Impossível qualquer politico ter esta capacidade da verdade.
Ainda menos este senhor que além da demagogia ainda é arrogante.

Até dúvido que seja um ser humano, com semelhante carácter , até aqui nem imaginava que houvesse gente desta :(

O programa foi directo ainda avisei no facebook, a prima fugiu de lá ;)

Beijinhos e já lhe dei tempo de antena a mais a semelhante figura