Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

domingo, 17 de fevereiro de 2013

"Degrau a Degrau"

Nem tudo é reluzente e brilhante no autismo, as dificuldades existem!
Tudo leva mais tempo, algumas vezes pode até nem acontecer.
Mas como eu costumo dizer, não vamos desistir nunca.
Corremos riscos, sentimo-nos ridicularizados, algumas vezes inibimo-nos de o fazer.
A autonomia e a inter-acção, com as pessoas e o meio é uma dificuldade.
Por culpa minha, que nem sempre me atrevo a passar por estas experiências, há uma enorme limitação nesta partilha da inter-acção.

:) Parece que a repartição de  Finanças é  a nossa segunda casa.
Entramos tirei a senha, só havia uma cadeira, o rapaz sentasse, e mãe fica de pé.
Dou-lhe o número de contribuinte, e a senha  ainda faltam uns 20 números
-Vais algum lado!? ( questiona-me ele),
Por acaso era para ir, mas fico aqui, vaga uma cadeira ao lado dele,( sento-me).
Olhamos para o visor estava no nº. 123, a nossa senha era o nº. 137, não é que dá um salto gigante e passa daquele número para o 138, aflição de um"Aspie" que nessas coisas é muito atento, nem se explica.
-Calma filho. (ainda bem que fiquei)
Quando retoma cadência normal, pronto agora já está bem ( já respira).
Antes de chegar a vez, dou-lhe também o cartão multibanco.
-Sabes o PIN!? Não digas o número alto,diz ao ouvido da mãe!
-Sei, diz-me ele numa espécie em código familiar ( uhau), até era simples, mas podia "chibar".
Assim, que chamam a senha dele ,levanta-se num ápice daqueles que dá nas vistas , sou eu, sou eu...
Dirige-se ao balcão respectivo, é o seguro do carro, seguro não, ( diz o funcionário) é o selo ,mas com aquele  olhar espanto.
-Dê-me o cartão!? ( pede-lhe o senhor)  ( tive ir para o pé)
Efetuou o pagamento com multibanco, correctamente, nem me apercebi, se tinha visto a quantia ( foi um risco), mas ele diz que viu.
Vamos ao multibanco levantar dinheiro.
-Queres que eu faça tudo ( diz ele)
-Tens de aprender, (executou o processo todo certinho), embora muito distraído, com todos os movimentos que se passavam à volta.
Para terminar a nossa manhã
-Agora vamos comprar um frango assado, para o almoço .
Dou-lhe 20  euros e o porta moedas, pode ser necessário alguns trocos para facilitar ( tem muita facilidade em cálculo mental), andava à procura de 0,76 cêntimos, mas só consegui arranjar os 0,06 cêntimos, depois ficou ali um pouco atrapalhado, porque tinha tirado as moedas todas do porta moedas, mais as que tinha recebido de troco :)
.

6 comentários:

São disse...

Só posso dizer-lhe que admiro imensamente a sua força , Mina.

Um abraço para vós

Mina disse...

São

Ganda maluca é o que sou rsss, mas quero lá saber, já estou vacinada aos olhares, se fosse com pai, não podia fazer estes testes :)

Quando lhe contamos, não queria acreditar, verdade!? ( dizia-me ele).
Claro, nem o nosso filho permitia mentir :)

Beijinhos

Fê Blue bird disse...

Prima, tudo isso que fazes pelo Bruno é para o tornar cada vez mais autónomo e independente.
Degrau a degrau chegam lá.

beijinho

Mina disse...

Prima Fê
Estes treinos deviam ter começado mais novo, e serem constantes, mas com pai não posso contar.
A dificuldade, e, que o torna único, é ,que ele é capaz, mas como os períodos de concentração são poucos, ou está ja pensar noutra coisa que não tem nada a ver com que está a fazer, torna-o vulnerável em qualquer tarefa.
Mesmo assim subindo os degraus devagarinho, já coisas que faz e não fazia ajudar-me nas compras sem ter de estar sempre ao meu lado.
Beijinhos

Mário Relvas disse...

Mina, momentos mágicos!

Beijinhos :)

Mina disse...

Mário
Vamos tentando, cada dia mais um pouquinho, hoje foi-me comprar, uns queijinhos frescos e até trouxe os 2 cêntimos e troco :)

A boa tarde, e o obrigado , devem ter ficado em casa, não vi mas depreendo, paciência, por aí também não virá mal ao mundo, e mal educado, ele não é, estou sempre a repetir estas palavrinhas mágicas, que ele chega lá e esquecesse ;)
Beijinhos