Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Como aprender a lidar com emoções negativas?

Há aqui uma história de um porquinho que ficou triste porque não havia bolotas para ele comer, então foi para uma poça de lama chorar para ver senão ficava triste.
Mas depois um amigo dele explicou-llhe que todos nós gostamos de estar contentes mas às vezes há coisas que nos deixam tristes.
Todos temos o direito de estar tristes mas gostamos mais de estar contentes.
Então para ficar contente o amigo dele pediu para olhar para o espelho pensar em outras coisas que gosta e voltar a ficar contente.
E quando não se pode fazer uma coisa que gosta espera-se um pouco e vai-se fazendo outras coisas.
Neste caso o porquinho pensou que gostava de passear, de brincar com os amigos, com os brinquedos , de jogar à bola. E depois só escolher uma coisa que gosta de fazer e volta-se a ficar contente.
Agora eu estou a pensar numa situação onde fique triste eu fico triste quando não há falta de energia eléctrica.
Se isso acontece é natural que esteja triste. Temos o direito de estar tristes, depois tenho de pensar em outras coisas que gosto de fazer para voltar a ficar contente o que me parece bastante complicado procurar outras coisa para fazer quando não há energia eléctrica, quando há cortes de energia eléctrica não dá para ver telivisão, jogar computador, ligar a luz etc.
Alguém me consegue dizer algumas coisas que é possível fazer quando não há energia eléctrica para eu ficar contente nessa situação?
Normalmente eu penso que os cortes de energia eléctrica estão associados aos temporais no inverno. Se não houvesse trovoada, ventos muito fortes capazes de derrubar cabos de alta tensão, tornados, etc.
Eu já não me preocupava tanto com os cortes de energia eléctrica.

Bruno V. 12/12/2012

As voltas que o rapaz deu, para manifestar a preocupação com as previsões do tempo para o dia de amanhã.
Devo referir que a história que ele refere do porquinho, faz parte de um bloco de actividades para a promoção do ajustamento psicológico.
Crescer a Brincar o autor Paulo Moreira ( é de 2002)
E lógico que já lhe sugeri actividades que podemos fazer sem energia eléctrica.

Mâe Mina

10 comentários:

bananinhaazul.blogspot.pt disse...

Realmente é uma chatice não ter energia eléctrica, o Bruno tem toda a razão!

Mina disse...

Edite

Acho que não há nada que o deixe mais perturbado do que a falta de energia eléctrica,é mesmo complicado gerir, o que mais gosta depende dela :)

beijinhos

quem és, que fazes aqui? disse...


Como aprender? Não se aprende nunca. Mas o Bruno desmontou a situação e foi construindo outra para pôr de lado a negatividade. Muito bem, Bruno!

Beijinho para ti. Hoje a mãe Mina fica sem nenhum...

Laura

Mina disse...

Laura

Desmontou, mas não solucionou, não tem nada para fazer sem energia electrica.
Precisa de sugestões :) !?

Beijinhos dos dois

Ontem ainda encheu uma página sobre as inspecções às viatuaras :), é uma solução escrever à luz da vela.

Fê-blue bird disse...

O Bruno para o porquinho arranjou uma boa solução :)
Já viver sem energia eléctrica é um chatice.
Vê-se uma grande preocupação e escrever sobre isso sempre a alivia não é verdade?

beijinhos aos dois e bom fim de semana

Mina disse...

Prima Fê

Para o porquinho vinha a solução no livro, que era brincar.

Agora para ele que todas as coisas que gosta dependem da energia eléctrica a tv, o computador , ler e escrever podia fazer à luz da vela, ainda lhe sugeri os jogos tradicionais antigos monopoly, xadrez, damas etc
Mas a falta de electrecidade tira-lhe toda a energia ou antes pelo contrário deixa-o eléctrico :)

Beijinhos e bom fim de semana
De preferência com luz

São disse...

Mas eu concordo com o Bruno, é bom que quando estamos trsites, não tentemos refrear a tristeza.

Em última análeise, acho disparate dizer a alguém que perdeu um ente querido para não chorar, ou para ter paciência, ou que a vida é assim!

Sei por experi~encia própria não ser fácil consolar, mas então o melhor é nem falar e deixar a pessoa desabafar,

Um abraço para vós.

Mina disse...

São

Quando ele fala em triste tem tudo a ver com a história do porquinho, e ele arranjou a mesma justificação para ele próprio poder ficar triste com possível falta de luz, a tristeza é um direito que lhe assiste quando não pode fazer aquilo que gosta, mesmo procurando ter pensamento positivo não encontrou.

Lá está temos direito a chorar então eu, choro por tudo e por nada.

beijinhos e bom fim de semana

Helena disse...

A minha filha também tem saídas parecidas, estes dias ao sairmos de casa eu disse-lhe "hi que tempestade!"... ela agarrou-me a mão puxou-me para dentro e disse "o Wall-e leva a Eva pa casa"...

Realmente no filme do wall-e quando vem a tempestade eles protegem-se em casa.
Foi um problema para sairmos!!!

bjs

Mina disse...

Helena

Por um lado é bom que tenham essa "ferramenta", para se resguardarem, por outro pode limita-los.
As emoções são assim mesmo e dá trabalho principalmente nas PEA, descodifica-las.

Um feliz Natal para si para princesa e toda a familia.

Beijinhos