Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

"Há boleia"


Valha-me Deus! Como ! É que se consegue formatar uma cabeça!?
Para que aquilo, que, a visão vê! A boca, não pode comentar! ;)
A necessidade de querer comunicar, por vezes fá-lo de forma inconveniente, e as pessoas não percebem, que não traz maldade, é mesmo a incapacidade de filtrar (e comentar aquilo, que lhe chama a atenção).
Por mais que tenhamos falado, que não têm que se meter na vida dos outros, esta incapacidade vem muitas vezes à tona (não consigo prever, todas as situações, e mesmo que conseguisse, não consigo evitar, não lhe vou, colocar fita cola, na boca).
Tanto que temos investido, nesta parte da sociabilização, não faz, com que esta seja a socialmente mais correta.
Passemos os factos em analise, o pai pediu a um colega, que nos desse boleia, até ao trabalho, ao que senhor generosamente acedeu.
-Entra no carro, senta-se ao lado senhor, o cumprimento que lhe ocorre:” Deves, pesar, para aí uns 110kg”.
Uma forma delicada de chamar gordo!? Talvez não!? Até porque ele se preocupa com estas questões do peso,  era apenas uma constatação visível, que daria tema para uma conversa dos programas que vê ( o senhor engoliu, sem resposta), a abono da verdade, o senhor pesaria bastante mais,( digo eu), que nem o pesei, mas para aí uns 180 kgs ;).
Silêncio constrangedor, durante a viagem.
E não ter-mos ficado, a pedir boleia, no auto-estrada, foi uma sorte J
No destino, pedi desculpa ao senhor, pelo comentário, que faz mesmo parte desta síndrome.
E só depois, já a sós, com Bruno, voltei a insistir com ele, que à coisas que não se podem dizer, mesmo que sejam verdade, prometeu que não vai dizer.
Até, à próxima! Digo eu!
-(ar pesaroso), porquê, que todos me ignoram ( diz ele).
A mãe, não te ignora J

Adenda-Para compensar, tirou as medidas, e calculou o imc, de algum pessoal do MVC, num evento do dia seguinte. Já saiu , mais feliz, por poder falar, sem o ignorarem.
 

13 comentários:

Mina disse...

Nota
Acrescento ainda que no mesmo dia,( da boleia) houve uma amiga que não lhe referiu a idade :)

Quando ele atirou, pró ar, deves ter uns 44 anos , e ,ela, não confirmou, nem desmentiu .(até porque não se pergunta a idade a uma senhora)

Porque ele raramente faz perguntas diretas, atira os números, numa espécie de jogo.

Porquê , tantas regras socias, medos e vergonhas ( digo eu)

E fica assim , admirado, porquê que as pessoas, não respondem ( deve-se à transparência dele dizer tudo), porquê que outros não agem da mesma forma.
Assim ele não consegue comunicar.

São disse...

Quanto ao peso, até compreendo que as pessoas se sintam mais ou menos incomodadas, porque , muitas vezes, nem tem a ver com a quantidade do que comem.

Mas relativamente à idade, acho um disparate!!

A socialização tem algumas regras necessárias, mas outras são perfeitamente dispensáveis.

Para quem não possui filtro social e diz exactamente o que pensa sobre o que vê, claro que não entende porque não pode dizer a verdade!

Seria bom que as pessoas percebessem ...

Abraço para vós

quem és, que fazes aqui? disse...


Com franqueza, Mina, acho que ele tem de comunicar. E o tipo de comunicação que usa é bastante objetivo. Nós é que comentamos coisas que não têm comentário possível. Pode até ter servido de alerta para o tal senhor volumoso.

Beijinhos para vós

Mina disse...

São
Mas isso é que me farto de repetir que não têm nada a ver com a vida das pessoas , se é gordo, magro, barrigudo etc
Mas ele não consegue compreender, e expliquei-lhe que ninguém gosta de ser gordo. Só que ele fica na mesma, senão gosta de ser gordo, porque que é!? Se á programas de emagrecimento. Mas a pessoa gosta de comer ;)
Sinceramente o senhor era desconforme, com dificuldades até na mobilidade, e todos os colegas gozam com ele até lhe chamam o elefante "Babar", mas ninguém é claro como o Bruno, que até lhe deu um peso bastante a abaixo, e suponho que poderia dali partir uma conversa, para programa do peso pesado, e dos kgs que perdem.
A idade, também foi uma brincadeira, estavam a falar de bebés e parece que ele não ouve, mas ouve tudo, e perguntou-lhe se estava grávida rss, e atirou a idade como quem diz, não tens idade para ter bebés, que para ele o limite são os 44 anos, idade com que a avó dele, me teve. Há sempre umas ligações que ele faz :)
beijinhos

Mina disse...

Laura

Ás vezes fico na dúvida, se ele deve comunicar, ou ficar caladinho.
Sempre estimulei a comunicação, mas não á registo , para ver, o que não vê :)
Estamos sempre demasiado preocupados com as aparências.

beijinhos

Fê blue bird disse...

Prima, a sociedade é hipócrita, somos "instruídos" a ser assim. Infelizmente quem é verdadeiro é descriminado ou ignorado, e não é só por ter esta síndrome.
E afinal o senhor era mesmo gordo :))

beijinho

Mina disse...

Prima Fê

Sem dúvida, e quem ensina os filhos a serem sérios e honestos, não vai a lado nenhum, ainda ontem ouvimos esse discurso de uma mãe empresária cumpridora das suas responsabilidades para com a sociedade, mas vê ao lado quem não cumpre sempre beneficiado.
Foi um evento muito interessante, sobre a má despesa pública autárquica, tem coisas do arco da velha, de gestão danosa do bem comum. Uns comem e outros pagam.
Lançou agora um livro , que é já o segundo, chama-se mesmo " má despesa pública nas autarquias" Têm uma página no facebook e um blog http://madespesapublica.blogspot.pt/, se poder dê uma vista de olhos.

Quanto ao senhor em questão, era mesmo obseso, e obsesidade mórbida, naturalmente que não se sentirá bem naquele corpo, que teve imensa dificuldade em sair do carro. Não sei qual a causa, mas ao que parece, é toda a família.

Beijinhos

AvoGI disse...

Mina
O teu filho dizo que nós pensamos e calamos.
Kis :-)

Fê blue bird disse...

Prima, segui o link e já coloquei nos favoritos para ler e ver com mais atenção.

beijinho

Mina disse...

Avogi

O problema é esse, é que toda a gente vê, mas não comenta...

Beijinhos

Mina disse...

Prima Fê

É muito interessante esse blogue , atento, aos maus gastos.
Outra das situações relatadas no evento, não me recordo do local, mas foi feita uma escola, mas não foram feitos os acessos, então a escola, está novinha, mas não pode ter alunos, a não ser passassem no pasto.
Biejinhos

Maria do Céu Freire disse...

Há que ter também em conta o factor surpresa, o Bruno causa surpresa a cada segundo pela verdade e por o sentido próprio de oportunidade. O tema da idade e da gravidez surgiu como surpresa quando eu (e as pessoas que estavam à conversa) erradamente não lhe estava a prestar a atenção devida. A verdade sem enfeites por vezes deixa-nos sem reacção...

Mina disse...

Céu
Ele não faz perguntas.
Ele joga os números para ar,para não ser surpreendido, e espera sempre , que entrem no jogo.
Vão subindo ou descendo a fasquia, até chegar ao número,é uma forma diferente de comunicar. Looll e ele naquele dia,achou que estavam a ignorar, bastava dar uma resposta nem que não fosse verdadeira, porque ele não iria ter a possibilidade de confirmar.

Tem esse sentido de inoportunidade, e muitas vezes, também parece, que estão alheios, e depois saem com estes raciocínios ;)
E desarma as pessoas, que estão noutra, com esta forma inesperada de abordagem :)

Este blog, é mesmo assim com exemplos reais, embora , ele seja um caso único, estes comportamentos embora verdadeiros, são atípicos e estão presentes noutros casos...

beijinhos e obrigada