Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

terça-feira, 26 de abril de 2011

SON RISE - Estratégias práticas que pode começar a utilizar com a sua criança (1)

Para que possa colocar em pratica algumas das técnicas do método SON RISE deixamos-lhe alguns princípios que pode começar aplicar desde já com a sua criança

Área do Desafio:
A criança possui um discurso limitado ou não fala.
Princípios orientadores:
Se ensinar que a linguagem é utilizada para comunicar, (e que não é apenas sons que se memorizam e se repetem), vai mostrar à criança que existe razões para falar.
O nosso programa mostra que, se a linguagem for encarada como útil e divertida, a criança ficará motivada para a utilizar.
Aplicar os princípios:
Responda rapidamente aos sons que a sua criança emite. Quando a sua criança produz um som (mesmo quando não há a certeza que está a tentar falar), mova-se rapidamente e ofereça qualquer coisa, ainda que não sabendo o que está a pedir. Demonstre que a comunicação verbal faz com que as pessoas se movam. Mostre à sua criança que falar lhe dá poder.
Demonstre o poder da linguagem ensinando verbos de acção ou substantivos eficazes. (Por exemplo: se ensinar a palavra "subir", pode levantar a sua criança ao utilizar esse verbo. Em contraste, se ensinar a palavra "mesa" não há nenhuma acção especifica que possa utilizar em função desta palavra. Substantivos eficazes poderão ser "bola" ou "chávena", etc.)
Celebre cada tentativa de comunicação. Se a sua criança tentar dizer algo, aplauda e festeje vivamente! Queremos que a criança se entusiasme e tente outra vez. Encorajamos isto não celebrando apenas o sucesso, mas todo o esforço ao longo do percurso.
Área do Desafio
A criança exibe comportamentos repetitivos e estímulos ritualistas ("stims").
Princípios Orientadores:
Crianças e adultos utilizam estes comportamentos para organizar a sua compreensão com o ambiente à sua volta e para ganhar a sensação do seu controlo interior.
Estes comportamentos podem ser por natureza curativos.
Estes rituais são uma “porta” para a interacção humana e para as relações sociais.
Estes comportamentos são reconfortantes para a criança e têm um propósito, mesmo quando não o entendemos.
Aplicar os Princípios:
Em vez de tentar parar um comportamento à força, junte-se e reproduza-o também, para que assim o comportamento solitário se torne num comportamento interligado.
Junte-se à actividade da sua criança imitando exactamente o que ela está a fazer. (Por exemplo: Se a sua criança estiver a bater palmas, bata também palmas com ela.) Posicione-se de maneira a que a sua criança consiga ver que você está a fazer.
Área do Desafio:
A Criança possui um vocabulário extenso ou fala em frases, mas falta-lhe a habilidade de conseguir falar com sucesso em situações sociais.
Princípios Orientadores:
Se ajudarmos a criança a construir confiança em comunicar socialmente, mais tarde ela tentará.
As crianças estão motivadas a usar as suas capacidades verbais com outros, quando lhes são mostrados os benefícios que essa atitude traz.
Aplicar os Princípios:
Recrie situações sociais num ambiente sem distracções, para que assim consiga reproduzir a situações sociais e familiares mais comuns.
Dê-lhe expressões específicas/frases que quer que a sua criança aprenda no âmbito de uma actividade entusiasmante ou num jogo. (Por exemplo: Em vez de corrigir o seu filho ou dar-lhe frases para repetir, crie um jogo chamado "mercearia" e mostre-lhe como interagir consigo, enquanto faz de "caixa".)
Esteja disposto a conversar com entusiasmo sobre um tema que a sua criança ache interessante (Doraemon; Centros Comerciais; e questões repetitivas como "O que é o jantar?"). Seja o modelo a seguir. Se queremos que as nossas crianças estejam dispostas a conversar as nossas áreas de interesse, temos de conversar com elas as suas. Depois de termos seguido os seus interesses, aí podemos começar a guiar gentilmente a conversa para direcções diferentes.
Em vez de corrigir continuamente a sua criança ou mostrar-lhe que conversas sem sentido são inúteis, celebre o facto de a sua criança estar a comunicar consigo. Faça com que a sua criança saiba o quanto gosta de a ouvir falar e partilhar o que tem para dizer.
Informação vencer autismo

4 comentários:

Mina disse...

Volto a repetir a nota do post anterior:
Nota- Nenhum método substitui a ida a um especialista e seguir os seus princípios orientadores...
E cada um pode optar ou não, por utilizar estratégias e escolher o que deve utilizar, com quem lhe é querido...
Pessoalmente, não acredito na cura para o autismo, mas numa melhoria das condições de vida, e todos as práticas são boas quando resultam numa evolução... Cabe a cada escolher o que melhor se adapta ao seu caso, até porque falamos num espectro e que resulta nuns, pode não resultar noutros... Postei esta informação porque mesmo só sabendo do metódo agora, intuitivamente foi com base em muitas destas estratégias que usei com o meu filho, o amor a persestência e a paciência...
Não está curado, mas fiz o que meu coração ditou e assim continuo a seguir as mesmas estratégias, com a aprendizagem da vida...

Fê-blue bird disse...

Prima amiga:
Esta sua partilha de informação e experiência é muito importante para os pais que se deparam com este problema e procuram uma orientação.
Actualmente há muito mais informação felizmente, e os blogue são um dos grandes instrumento de informação e partilha.
Mas a intuição e o amor pelos filhos é a base mais importante, sem dúvida.
Beijinhos

AVOGI disse...

e deixa que te diga: fizeste um bom trabalho e continuas claro . e o teu coração deve estar cheio de orgulho pelo esforço ( se se pode considerar!) amor empenho e dedicação
kis .=)

Mina disse...

Prima Fê e Avogi
Actualmente, já á muita informação e métodos variados, este será um dos mais recentes e baseado em factos reais de uma familía que conseguiu superar barreiras e vencer, nem todos o conseguem, porque a patologia não têm a mesma intensidade em todos... Mas o amor esse é sempre igual em qualquer parte do mundo linguagem universal e não tem contra-indicações...
bjinhos às duas