Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Dá-se-me um nó na garganta!...


Eu sei que os irmãos, não tem obrigação nem responsabilidade uns para com os outros, mas tem o dever de se respeitar...

E fico sempre muito preocupada, quando a minha filha se sente revoltada (talvez até envergonhada) o que é legítimo por ter um irmão diferente, que ela nunca aceitou muito bem apesar de ser mais nova, quando era mais pequena chantageava .

Há dias, chateou-se com ele, porque ele é um queixinhas e picuinhas e como era o dia dele estar na Internet e ela não saía do PC ele "virou-se" a ela...

E ela muito danada fez favor de me dizer, que ele para ela não existe, e que quando nós morrer mos, não vai querer saber dele para nada, para o entregar-mos a uma instituição...

Não acho nem nunca foi minha intenção que ela tenha de ter essa sobrecarga, mas acharia natural que viesse a orientar e a não deixar que o irmão seja enganado...

São os meus pensamentos egoístas a dominarem-me, pode ser que até lá tudo mude...

13 comentários:

PDD-NOS (Menina) disse...

Oh, fiquei triste com a atitude, é o irmão dela.
Não é uma questão de obrigação como diz, mas é familia.
Tive um primo com paralesia infantil, e também era o mais velho, e os irmãos mais novos estavam preparados para o facto de na falta dos Pais assunirem o irmão.
O Padrinho da Bea também é o irmão mais novo de um rapaz deficiente mental e ele desde muito novo assumiu que quando os Pais não poderem mais ou quando falecerem que ele ficará com o irmão. Lembro-me que quando ele começou a namorar a actual esposa a primeira coisa que lhe disse foi que tinha aquele irmão e que quando os Pais falecerem ele ficará com o irmão e que se ela não se sentisse capaz de assumir isso que o disse-se já pois ele nunca poderia casar com alguem que repudiasse o irmão.
Mina vamos dar tempo, deixar passar a fase de adolescente e ver se ela muda.
bjs Bete

Mina disse...

Bete
Custa-me muito ouvir, estas frases, que alías sempre a eduquei e transmiti os valores da tolerância não só para com o irmão, mas para com os outros que se cruzem no seu caminho...
É certo, certo que esta fase da adolescência altera muito as pessoas, espero que logo, logo passe...
Mas, não deixa de me fazer temer o futuro dele, até porque o estado cada vez tem tendência a "empurrar" as pessoas para as familías, e por um lado acho saudável que aí estaria o afecto, mas se é para mal tratar então vale mais institucionalizar...
E eu sei que não é tarefa facíl para ela, mas espero contar que pelo menos,que ela o oriente, para o que for melhor para ele...
Custa-me muito a engolir estas "doses"...e faz-me muito pensar a falta de instituições adaptadas a estas patolgias...
Até à data ainda só vislumbrei um possível cenário.
bjocas

Lua disse...

Olá...não sei qual a idade da filha, só estou a acompanhar o blog agora. Apenas percebi que deve ser adolescente e como tal, na minha opinião, é normal o que ela disse. Não quer dizer que nao ame o irmão e que mais tarde nao cuide dele e lhe dê toda a atenção.Aliás, tenho quase a certeza que é isso que vai acontecer, quando ela crescer. Neste momento a fase é complicada e ainda está a aprender a viver e lidar com tudo que é novo e diferente.
Força e acompanhe a sua filha, ajudando-a a adaptar-se e a lidar com o irmão, como de certeza que é isso que está a fazer.

Mrs_Noris disse...

Mina,
Subscrevo inteiramente o que disse a amiga Lua. Acho que não deve dar tanta importância, releve e não se apoquente. Também eu tive muita raiva do meu irmão, brigámos, agredimo-nos e insultámo-nos mutuamente tanta vez, até muito tarde. Mas quando saí de casa para estudar em Lisboa tivemos saudades um do outro. A partir daí tudo mudou. É normal e tudo passa. Pior estão os que não têm irmãos.
Um beijinho.

Mrs_Noris disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Visite www.arteautismo.com disse...

Oi Mina, antes de mais nada , quero agradecer o que fez . indicando o quadro de Filipe e o site e dizendo, tantas palavras bonitas.
Ai Mina , voce é um doce meu amor.
MUITO OBRIGADA , minha querida , por mim e Filipe.
Mina , não esquenta com sua menina não, é assim mesmo. Penso que até é que somos nós as culpadas por passar a mão na cabeça deles sempre e esquecer um pouco deles.
Camila chega me dizer que Filipe não tem nada , eu é que exagero tudo.
QUEM DERA!
E ela se troca com ele, implicando e ele com ela , uma graça acabo rindo e vendo que ela não imagina a extensão do problema.
Tenho um filho mais velho , que se dá bem com Filipe, mas quando pequenos se estranhavam.
è coisa de irmão rs rs . eles são assim mesmo.
Agora evito falar que eles vão ter de tomar conta de Filipe, pois eu mesmo sei que será dificil.
Tento viver cada dia cada dia.
Não se preocupe mais com sua lindinha , no fundo no fundo o desejo dela é que Bruno fique curado. É falta de amadurecimento, e da adolescência , onde tudo toma uma proporção muito grande.
Isso passa amiga.
Um beijo grande e um abraço bem apertado , de tua amiga.
Ray

Mina disse...

Lua
Obrigada pelas suas palavras, ás vezes até me sinto mal com este meu egoismo, até parece que gosto mais de um que de outro, o que não é verdade, só que a adolêscencia dele passou-me ao lado,e a minha já vai longe e penso que não foi tão complicado o meu crescimento...
No entanto ela não deixa de ser uma linda menina, que espero em breve seja mulher, mas nesta fase à sempre um afastamento entre as duas gerações, conversamos muito e eu acho que no fundo ela também está na fase provocatória e sabe que isso me magoa, no entanto ela é muito sensível e vai mudar concerteza, até lá terei de engolir destas...
E preparar caminho para ambos caminharem...
E curioso que ela também diz oh! mãe tu preocupaste demais... Coisas de mães chatas, ora claro está...
bjocas

Mina disse...

Noris
Deve ser mesmo a minha falta de hábito, que com os meus irmãos não houve guerras, por eu ser muito "petit", eu era mais a filha deles rsss
Mas entre eles dois os meus manos que tem 5 anos diferença também houve muita "pega", eu fui a protegida rssss notasse pelo mimo loool
bjocas

Mina disse...

Ray
Não tem que agradecer, aliás até dá cor a este blog as nuvens coloridas de Felipe, e que esse algodão corresse mundo e encontrasse um poiso, seria uma cena feliz...
Cá está amiga, quem sabe, sabe rsss
E secalhar é mesmo isso os nossos homens são sempre eternos meninos, que nós mãe protegemos os outros também são filhos mas tem asas para poder voar sozinhos e estes precisa do impulso para voar e é diário e constante, temos de os lembrar até do básico, dou-lhe até um exemplo hoje de manhã tomou a sua banhoca do costume, só tomaria a amanhã não fosse ter tido remo hoje e transpirado bastante por iniciativa dele ficava assim transpirado, qual outro banho, quando o fui buscar com calor trazia-me o fato de treino apertado até ao pescoço...
Então filho não tens calor?...Resposta foste tu que me mandaste vestir, mas demanhã estava frio rsss
Lá despiu o casaco do fato treino lool, que até podia andar com um cobertor se eu lho tivesse posto...
É nestas pequenas coisas que precisa de orientação...
E a minha filhota, também depende dos dias ás vezes também acha que o irmão, não tem nada outras tem tudo, é proprio da idade.
E o mal é que secalhar nós e falo por mim, queremos arranjar uma âncora de salvação nos outros nossos filhos, eu só tenho mais esta.E é carga pesada para ela, eles que nos perdoem um dia quando forem pais entenderão melhor estas nosssas preocupações...
Até lá vamos passando os valores da tolerância e da solidariedade...
Bjocas e obrigada pelas palavras tão próximas do meu sentir...

Ray Gonçalves Mélo disse...

Oi Mina, amei esta frase final tua , es uma poeta das boas!
(obrigada pelas palavras tão próximas do meu sentir) ameiiiii
Olha eles parecem muito na depedência, relatas o casaco que ele não tira se voce não falar.
E filipe é assim, no inverno digo coloca a blusa de manga comprida e meia e falo na hpora de dormir para se cobrir bem. Aí ele troca , veste camiseta e não se cobre. E no verao põe as roupas de inverno, quando vejo o bichinho tá molhado de suor ao dormir .
Não sei como não ficamos malucas com tantas coisas.
Andei falando ontem , nao aperta a mão de todo mundo Filipe e dana ele a querer apertar a mão minha.
Falei peraí Filipe , eu não né? Tô contigo toda hora não precisa né?
E o pai sai com uma dessa , ela tá querendo te perguntar , se pode apertar a mão dos outros e não te cumprimentando
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Até que enfim o pai o entendeu e refrescou minha cuca já atordoada rs.
Enfim , temos que ser super-mães!
Beijos pra ti e Bruno

Mina disse...

Ray
Sou uma sentimentola, lá isso é que é, rsss
Haverá quem ache que este sentir é falso ou exagerado, mas quem é mãe sabe que não é, então quando temos estes homens especiais, não conseguimos deixar de sentir desta forma eles ensinam-nos o "verbo pureza" na primeira pessoa... Cadê a mentira não há no vocabulário deles...
Dê a mão a Felipe transmiti-lhe segurança, eu ando muito de mão dada com o meu Bruno e nem quero saber o que as pessoas julgam, que eu sei julgam, secalhar até com maldade...
Eles gostam de sentir o nosso apoio e a segurança que nós lhe damos, e se um por lado pode parecer "abebezado", e quebrar a autonomia por outra está o afecto e a segurança que transmitimos...
O meu até sobre os ombros do pai coloca o braço rsss tipo suporte ou apoio lool
Mas também pode andar muito desligado, só a controlar-nos através do olhar, mas precisa das nossas referências e estar por perto.
Noutro dia achei uma coisa engraçada, fui só a casa de uma vizinha, e por pouco tempo, e não disse nada, ele deu pela minha falta quando cheguei manisfestou toda a preocupação porque eu não tinha avisado, ora se eu quero que me avisem quando saiem dei um mau exemplo rssss
bjocas

mariamartin disse...

Querida amiga,
Li de uma vez vários dos posts e comento neste porque tb estou a viver a experiência alucinante de ter um adolescente com 17 anos cujo telemóvel parece a extensão do braço, está do mais irritante, não diz nada de jeito, vive enfiado no quarto a brincar com o computador como se o mundo não existisse...Deixa-me com os cabelos em pé!!!
A sua filhota deve estar nessa fase, por isso não ligue ao que diz...eles não sabem mesmo o que fazem ou o que dizem!!!
E de certeza que esse desbafo infeliz é mais uma "tonteria" desta fase do armário.
Paciência, é o que precisamos e em doses industriais!
Beijos para si e para o Bruno.
mariamartin

Mina disse...

Maria martin
Querida amiga, já tinha saudades do ar do Alentenjo, por aqui a soprar rsss
Nunca me ocorreria essa extensão do braço, mas confirmo essa autêntica "paranóia colectiva",a minha deu uma volta de 180º.para quem não ligava nada a telemóvel agora até faz parte cama é um apêndice que não dispensa a hora nenhuma...
Ah! e nem sequer nenhuma sms é para a mãe, que até a rede mudou, só para os amigos...
Já o Aspie é só para a mãe, e só quando vai para fora rsss
Oh! amiga onde se encontra a paciência, ela viveu nas Caldas rsss, mas já foi a muito tempo lool
Valha-me os pensamentos de brincadeira, para aliviar e estas nossas conversas, para tranquilizar...
Bjocas