Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

domingo, 5 de junho de 2011

"A Nova Maioria"


A abstenção!!
Com muita pena minha, e depois de já estar tudo planeado e pronto para irmos ás urnas.
Prontos para sair e cumprir o dever cívico.
Vamos lá recapitular, convêm sempre relembrar,a importância do acto e como se comportar.
Treino:
-Eu sou a presidente da mesa(mãe) posiciono-me numa ponta do quarto.
Ensaia-mos
-Entras, dizes boa tarde, entregas o BI e a folha com número de eleitor.
Se as cabines estiverem ocupadas, esperas, e vais quando estiver desocupada, fazes a cruz, sem perder muito tempo a olhar para o papel ( antes de entrar-mos vamos ver o boletim, para lá dentro não perderes tempo a olhar para todos os partidos e quadrados).
Dobras a folha em 4 com a cruz para a parte de dentro.
Depositas o boletim na ranhura, e dizes obrigado.
Devolvem te os teus documentos.
Lição estudada e completamente de acordo, sabe como alinhar todo este ritual.

Mas!!! Há sempre um mas a condicionante secretismo, o voto é secreto não se pode revelar no local de voto,entras e saies em silêncio.
-E espreitar, para o boletim do lado é proibido, eu quero ver se votam naquele partido (diz-ele)
Estudou analisou esteve muito atento à campanha às sondagens às opiniões.
Mas estava indeciso, não gosto de influenciar nem costumo dizer-lhe antes de, em quem vou votar, mas desta vez digo-lhe, salva guardando que ele pode votar noutro.
Já estava convicto, deu-me logo as previsões e o quanto o meu voto poderia alterar o número de deputados na nossa região.
Tão fácil, como ele parece ter percebido isto tudo.
Não lhe posso pôr fita cola na boca, nem venda nos olhos.
Quando ele mete uma coisa na cabeça, por mais que eu gaste o meu latim, ele vai me provocar e cometer todas as ilegalidades, que lhe disse para não cometer.
Mesmo alertando-o para todos os riscos, ele não controla esta particularidade que lhe é extremamente prejudicial ( a de dizer e fazer o que não deve).

O que fazer!!!
Não o posso acompanhar sem atestado medico passado a provar a deficiência ( nem sei se basta o multi-usos).
O que não seria sinónimo de não dizer ou fazer "disparate", visto ser imprevisível.
Por outro lado quero dar-lhe a autonomia e a capacidade de decidir e actuar sozinho.
No final, ele não quis ir votar. O que nós respeitamos.
Iria correr riscos, para quem tinha tantas incertezas...

Nota- a imagem faz parte do treino:-)

6 comentários:

AVOGI disse...

óóóhhh! para que serviu então o treino? e porque razão não quis ir? algo o perturbou?
kis :=(

Mina disse...

Avogi
Ficou com medo de não conseguir travar aquela língua e aquelas atitudes, fosse de espreitar ou perguntar em quem vais votar e as consequências esses actos teriam...
Que podem ser processados criminalmente, ele tem de aprender a controlar esses ímpetos, que são completamente parvos.
Como com a maioria dos portugueses, fez parte da abstenção.
Eu até poderia dar a minha versão do porque da confusão que gera na cabeça dele.
A politica já de si confusa.
Agora para eles que tem necessidade de manutenção em qualquer das áreas da vida, mudar de partido tira lhes essa suposta "estabilidade" de não saber com o que contar. Por outro lado saber que partido que governava nos levou ao estado actual indepententemente da conjuntuta internacional.
De modo que a balança ficou em desequilibrio, sem saber para que lado pender, por um lado a manutenção não agrada, por outro a mudança assusta...Ficou pelo nim.
Assim fosse só ele...
bjocas

Grilinha disse...

Mina, concordo contigo mesma....a politica já é de si confusa...e quando te comprometes sentes ali como que uma cumplicidade em quem votaste ! E se depois eles vêm fazer coisas que nem são as que desejávamos ??? Ui...Se percebo Bruno. Ontem tb tive vontade de não ir. Depois fui. Agora só espero que as coisas corram bem. Gostei desse ensaio !!! Para a próxima talvez seja mais pacato e ele exerça o seu direito . Um beijinho

Fê-blue bird disse...

Dizes bem prima:
"Assim fosse só ele..."
O Bruno tem as suas razões perfeitamente compreensíveis e respeitáveis, mas os 41% dos portugueses que se abstiveram, quais serão as suas razões?
Desinteresse, irresponsabilidade, apatia...fico sempre muito triste com isto tudo.
Enfim, vamos continuar com a nossa vida, tem que ser.

Beijinhos

Mina disse...

Grilinha
Politica e autismo, não ligam mesmo...
Porque ele acredita nas pessoas, e penso que por ser as legislativas a escolha o leque de partidos era grande, e nenhum lhe dizia particularmente nada.
Nas anteriores legislativas ainda havia um partido que tinha um representante que ele conhecia e que conhecia a sua síndrome, embora não concorre se pelo nosso distrito, era para ele uma referência.
Ele sabe fazer as coisas direitinhas, e nem seria necessário o ensaio, mas ás vezes parece que gosta de provocar e fazer aquelas perguntas parvas, porque gosta de comunicar e como não o sabe fazer de outra forma, usa estas chamadas de atençâo. Depois já me dizia e se disser que o meu BI está quase a caducar, também é crime!!?
O filho e qual é necessidade de dizeres isso as pessoas vêem.
Não é fácil as pessoas conseguirem perceber esta linguagem fora de contexto...
bjinhos Grilinha

Mina disse...

Prima Fê
Mesmo não percenbendo nada de politica ele tem a sua forma particular de a ver, e vê muito as estatisticas ihihihi
Acho que ele dava um critico isento:-)
Hoje queria trazer 3 jornais para fazer as comparações dos gráficos, era quase tudo igual, lá consegui que trouxesse só um...
Anda tudo descrente e particularmente os jovens, que tem o futuro hipotecado...
Avisinham-se tempos de maiores sacrifíos...
bjinhos