Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

sexta-feira, 8 de maio de 2015

"Alerta"

Há quem compare, as vivências com autismo, ao stress pós  guerra.
Não seria tão exagerada,  e até sou daquelas pessoas com alguma resistência, mas têm dias que de facto, me sinto em alerta máximo, sem conseguir dar descanso ao meu cérebro, sinto todos os ruídos.
Nunca sabemos, nem podemos prever,ou antecipar os comportamentos dos outros, quando se tornam fóbicos.
Pode estar toda a gente a falar, mesmo ao lado dele (que não ouve), está muitas vezes "desligado", repetimos  e nada, mas ao longe está sempre com o os ouvidos, na irmã, e com instintos provocatórios, muitas vezes ela nem  liga, mas ele insisti na aproximação.
E não são brigas de irmãos, que se resolvem com uma conversação.
Tenho que andar sempre a fazer o papel de mediador, e confesso que é muito difícil, acho mesmo que não consigo estar à altura deste desafio.

6 comentários:

Fê blue bird disse...

Prima, estar constantemente em alerta é muito desgastante e servir de mediador também.
No teu caso só o teu amor e paciência podem atenuar essa frustração.

Um beijinho e bom fim de semana

Mina disse...

Prima Fê

Muito difícil mesmo, este papel, tenho que proteger os dois, e uma não têm paciência, porque torna-se chato com estas fobias, e não sei até onde pode ser perigoso, não mede as consequências das provocações, está sempre concentrado em todos os movimentos da irmã, e tenho que contornar,já não servem as chantagens, nem sei que fazer, senão estar nesta vigília constante.

Beijinhos e b.f.s

São disse...

Complicado, sim...

Mas que está à altura da situação, parece-me bem que está!

Abraços aos três

Reflexões de Mamãe disse...

Eu às vezes que é mais ou menos isso...
graças a Deus que tem alguns dias que compensam...
Um beijo!!! E força!!

Mina disse...

São

Não sei, não, ás vezes sinto-me impotente e incompetente, de lhe estar sempre a dizer as mesmas coisas e não ver resultados, este "macaco de imitação", parece que é mais forte que ele.
E a condescendência dela está no limite, lá tenho de fazer de "policia", para manter alguma tranquilidade.
Que de resto é pacífico...
Beijinhos

Mina disse...

Mamãe

Espero, que por aqui, também seja uma fase, e que este estado passe rapidamente...
Até lá tenho de controlar, o desviar o foco, que é o que se aplica naturalmente, não está a resultar, plenamente...
Vou tentar relaxar...que ás vezes quanto mais importância damos pior.

Beijinhos