Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

segunda-feira, 16 de junho de 2014

"Já nasceu, assim!?"


-Já nasceu, assim!?
(breves segundos de reflexão)
Questão, muito comum, quando querem aludir, à diferença,à deficiência!?
O que, lhe, queiram chamar !
É, me indiferente.
E nem sou, das pessoas, que ferve, com este estigma...
Tento elucidar...
-Já... mas porquê!?
-Conhece, algum autista!?
-Tenho, um tio, com 50 e tal anos , que têm vindo a piorar.
-A piorar, como!? (tento tirar nabos da púcara)
Pelo, que pude perceber, na curta, troca de palavras.
-O seu tio sofrerá!?, de uma perturbação mental, o que é diferente de perturbação do espectro do autismo, embora em alguns casos, possa andar juntas.
 Aproveito e esclareço.
-O caso do meu filho, não têm perturbação mental, sabe mais do que eu, talvez que você, o problema é não saber aplicar na prática ( precisa de orientação).

6 comentários:

Guerra Asperger disse...

Sou Aspie, e colocarei aqui os dizeres de Cristiano Camargo, escritor Aspie também: "A Asperger é uma bênção maravilhosa, um privilégio! A Asperger constrói pessoas melhores e tem um processo de amadurecimento diferente do das outras pessoas, mas que não é doente nem inferior em nada !Aspergers são inteligentes, tem uma imensa determinação em superar e vencer as barreiras de gente estúpida que pensa que a gente é doente e esta gente nem percebe sua própria doença, pois o Preconceito sim é doença mental!"

Mina disse...

Olá
Guerra Asperger...
Bem vinda

Não é, Asperger, quem quer, embora, alguns se possam fazer passar, por serem Asperger, como acontece, até com a classe politica, que quando se querem ofender, usam o autismo, como sinonimo de alheamento.

Eu, sou mãe, é da minha vivência diária com meu filho, que observo, e sinto a transparência a honestidade e a dificuldade, em se fazer perceber, mesmo ele sendo verbal e de alto funcionamento, e tendo excelentes capacidades,não as sabe utilizar em beneficio próprio, além de que tem as características de comportamentos evidentes, as tais que chamam atenção (estereotipias).

Cada caso de perturbação do espectro do autismo, é única, e variável, assim como a doença mental, terá vários graus, não me compete fazer qualquer tipo de julgamentos, apenas separa-los, e o que aqui escrevo, tem a ver com a nossa experiência pessoal.

Com a modesta, intenção de tentar mudar , as mentalidades, o preconceito, não sei, se consigo, e nem achei, nesta conversa que houvesse, algum preconceito, a forma de abordagem, é, que sui generis, para não irem directos ao assunto...

A maior ignorância, é não querer saber, esta jovem, demonstrou, que queria companhia para a sua própria dificuldade( com o tio).
Não posso, também de modo algum, fazer juízos de valor da doença mental, de quem dela padece, e de quem passa pela dificuldade de ter um familiar, com essa disfunção, que pode acontecer,a qualquer um de nós...
Beijinhos para si e para o Cristiano

São disse...

A responsabilidade maior da ignorância geral sobre vários temas é de uma televisão pública que tem programas de péssima qualidade e passa horas a discutir futebol...em vez de ter programação adequada e que (in)formasse as pessoas sobre saúde, cultura, educação.

Para cúmulo , os raros programas que vale a pena ver passam a horas tardias e incompatíveis com os horários de quem ainda tem trabalho.

Quanto às televisões privadas, escudam-se na falácia de não terem obrigação de educar as pessoas, mas , pelos vistos, têm o dever de as tornar estúpidas.

Abraço para vós.

Mina disse...

São

Infelizmente, tem razão no aproveitamento dos média, em nos venderem a desgraça, os "coitadinhos", os "desgraçadinhos", a violência o crime...
A vergonhosa, competição, para as audiências, à mesma hora os canais generalistas, dão o mesmo tipo de programação, a hora de almoço, está destinada aos crimes, essa é cultura que nos transmitem, ás vezes até fico com a ligeira impressão de que até, já o fazem para serem noticia...
Para transmitirem algo positivo, tem de passar por uma série de negativas...

beijinhos

Fê blue bird disse...

Prima, estive a ler os comentários e claro que estou de acordo com tudo o que foi escrito.

Actualmente só é ignorante quem quer, pois há muitas "ferramentas" que nos ajudam a esclarecer as nossas dúvidas.

Mas os governos e os meios de comunicação podiam fazer muito mais.

beijinho

Mina disse...

Prima Fê

Não podemos culpar a sociedade por não saber, até porque não lhe é permitido conviver, com as pessoas com NEE, já se andou para frente, e agora ,parece-me que estamos no retrocesso, tudo por interesses economicistas :(
Enfim, lá bem a celebre frase de um dia de cada vez...

Beijinhos