Mãe e filho de mãos dadas trilhando os caminhos do autismo/asperger.
Numa partilha intimista e de coração aberto em sonhos e desalentos, numa vida vivida...
Ter um filho asperger não é o fim do mundo, mas o princípio de uma nova vida...
Valorizando os afectos...

sábado, 20 de dezembro de 2008

Peditórios/Solidariedade



No ano passado ,por esta em época Natalicía, pedi ao Bruno para ir aos correios, comprar selos, e colocar nuns postais que levava para enviar, fez tudo direitinho.
E como tbm é comum as ruas enchem-se de apelos há solidariedade, com peditórios de rua, para as mais diversas causas.
E não é que foram pedir ao Bruno a sua participação.
Como tinha o troco dos selos, depositou na caixinha dois cêntimos, e lá vem ele todo contente de laçinho azul.
Quando chega ao pé de mim conta-me o sucedido.
-Oh! meu Deus, mas não tinhas mais dinheiro!?
-Aquela era a moeda mais pequena que tinha.
-Mas isso não é nada filho dois cêntimos...
-Mas mãe, muita gente não estava a dar nada!...
Fiquei preocupada que pensassem, que era gozo, e até o pudessem molestar...
Hoje fui eu abordada pelo laçinho azul.
E finalmente percebi o porquê de o Bruno ter dado dois cêntimos.
A senhora estava a dizer , ajude nem que seja com um cêntimo.
Seria a mesma senhora?!...
Peço desculpa a quem estava no peditório, mas estes individuos , não fazem as coisas com sentido pejorativo.

8 comentários:

BrunoV. disse...

Se toda a gente contribuisse para ajudar essas instituições de solidariedade nem que fosse só com dois cêntimos, já ajudava essas instituições. Agora se ninguém contribuir com dinheiro nenhum como faz muita gente as instituições podem ir à falência. Por favor, ajudem.
Beijos

Mrs_Noris disse...

Tens razão Bruno. Cada um contribui como pode. Uns com trabalho, outros com tempo, uns com géneros, outros com mais ou menos dinheiro. O que importa é contribuir sempre, na medida das nossas possibilidades.
E nós sentimo-nos bem a ajudar.

Mrs_Noris disse...

PS: É muito importante que nos sintamos bem a ajudar. Que se dê mas com gosto e vontade.

Um beijo.

Mina disse...

Noris, o fundamental é participar e tal como o Bruno pensa se cada um dos 10 milhões de portugueses desse dois cêntimos, era uma grande ajuda.

Mas a maioria de nós prefere não dar nada a dar estas quantias irrisórias, até podem ser consideradas insultos...
O que me levou a escrever foi mesmo para que as pessoas tenham a real noção de que a pureza dos "Aspies", não os leva para segundos sentidos e portanto dar aquela quantia é perfeitamente natural, na óptica dele.
Gosto de o deixar á solta, mas fico sempre preocupada com estas e outras abordagens.
Até porque ele anda sempre sem dinheiro, porque não tem a capacidade de o gerir de uma forma correcta, tal com deu 2 centimos puderia dar tudo o que tivesse.
O dinheiro para ele tem um valor diferente.
bjocas

Mina disse...

Noris, quando ele andava na secundária, e levava dinheiro para o almoço, se um colega lhe pedisse o dinheiro ele dava e ficava sem almoçar.
Torna-se perigosso, porque quando não levasse dinheiro pudiam agredi-lo, por isso tive de optar por andar sem dinheiro, ou só com os mínimos.
bjocas

Mário Relvas disse...

EMBORA EU SEMPRE TENHA PAGO... chegou-me esta notícia:

Pertencentes a instituições de solidariedade social - Centros vão cobrar mensalidade a deficientes

Os deficientes que frequentam os centros de actividades ocupacionais de instituições de solidariedade social vão ter de pagar uma mensalidade a partir do próximo ano. Uma decisão que surpreendeu os pais, alguns dos quais com filhos a frequentar estes estabelecimentos há mais de 20 anos sem nunca terem pago mensalidades.

A mensalidade terá como base a declaração de rendimentos das famílias e não deverá ultrapassar os 140 euros, noticia esta quinta-feira a rádio TSF.

O Ministério da Solidariedade Social, contactado pela rádio, indicou apenas que estes centros são apoiados pelo Governo mas pertencem a instituições de solidariedade social, remetendo para estas a responsabilidade da decisão.
18 de Dezembro no CM
------------------

Os peditórios estão por todo o lado!
Bruno, quem dá o que tem a mais não é obrigado. Conta o gesto solidário.Parabéns.

FELIZ NATAL SOLIDÁRIO

Mina disse...

Mário,
Obrigado pela informação, mas de facto nem sabia que não se pagava, o meu filho sempre pagou há quase 2 anos que frequenta o CAO, e paga já acima acima dos 140 euros, o que me informaram é que tem que pagar 90% da pensão social de invalidez, que eu até data nem sei bem qual é mas rondará os 170 e tal euros, tenho pago 145,5 euros, embora ele ainda nem tenha recebido a pensão que foi requerida a um ano, acho que está em processamento, e depois virá com retroactivos, entretanto foi-lhe já retirado o abono complementar por deficiência.
E assim vai este país, estamos em época natalicia, mas este tema já está na minha agenda para os próximos tempos.
Um abraço

Luisa_B disse...

O Bruno achou que o gesto de contribuir com pouco era tão relevante quanto o de dar mais...cada um dá o que pode de coração.
Bom Natal Bruno e Mina assim como ao pai e irmã.
Beijinhos